• Home
  • Canadá aproxima-se da proibição de testes em animais na indústria cosmética

Canadá aproxima-se da proibição de testes em animais na indústria cosmética

0 comments

“Chegou a hora do Canadá proibir o teste de cosméticos em animais”. Essa foi a mensagem levada ao Parlamento canadense na segunda-feira (28) por dezenas de ativistas em defesa dos direitos animais. A manifestação liderada pela empresa de cosméticos The Body Shop Canada apresentou aos parlamentares uma das maiores petições da história do país.

 

Duas mulheres e cinco cachorros carregam placas contra o uso de animais em testes
Após petição arrecadar mais de meio milhão de assinaturas, ativistas foram ao Parlamente canadense pedir o fim de testes com animais em cosméticos.

Mais de 630 mil pessoas assinaram uma petição organizada pela empresa cruelty-free, exigindo o fim de testes cosméticos em animais.

Os organizadores apontaram para um movimento semelhante ao que ocorreu na União Europeia em 2013. O bloco econômico de 27 membros proibiu a venda de cosméticos desenvolvidos usando testes em animais. A medida proibiu inclusive produtos que tinham os testes realizados em países onde a cruel prática é legalizada.

Os ativistas afirmam que o Canadá está atrasado por ainda não ter proibido o procedimento que explora os animais.“Não há absolutamente nenhuma necessidade de testes em animais em 2018”, disse Toby Milton, presidente da The Body Shop Canada.

Opções como modelos de pele 3D são rotineiramente usadas para testar cosméticos sem infligir sofrimento aos animais.

Esta é a maior petição canadense dos últimos 60 anos. A última vez que uma solicitação popular recebeu tantas solicitações foi na reivindicação da declaração de direitos do país.

Membros do Parlamento de todos os principais partidos políticos falaram com o comício e ofereceram seu apoio. Entre eles, a senadora Carolyn Stewart Olsen, que atualmente tem um projeto de lei – S-214 – , que busca proibir os testes animais em cosméticos. Esse projeto está atualmente em terceira leitura, que é a etapa final da deliberação antes que o Senado vote sobre a aprovação da legislação.

A deputada conservadora Michelle Rempel incentivou os ativistas a continuarem lutando por mudanças. Ela apontou estatísticas que sugerem que 80% dos canadenses se opõem ao teste de cosméticos em animais. “Quando os canadenses levantam a voz a esse ponto, os parlamentares escutam”, disse ela.

Rempel também observou que, com a implementação do Acordo Econômico e Comercial da União Européia-Canadá (CETA), mudanças deverão ser feitas. Haverá a necessidade de harmonizar as regulamentações em torno de diversas questões, incluindo testes de cosméticos. O acordo entrou em vigor provisório em setembro de 2017.

No início deste mês, o Parlamento Europeu votou esmagadoramente por uma proibição mundial de testes em animais em cosméticos.

About the Author

Follow me


{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>