• Home
  • Cadelinha dá lição de resiliência após perder a visão

Cadelinha dá lição de resiliência após perder a visão

0 comments

Rosie é uma cadelinha de nove anos que nasceu com apenas um olho. Em 2015, infelizmente, ela precisou passar por uma cirurgia para retirá-lo porque seu canal lacrimal tinha sido bloqueado permanentemente.

Reprodução | Metro.uk

Assim que a notícia sobre a necessidade de cirurgia de Rosie foi recebida pela sua tutora, Jadie Cooley, muitos amigos e pessoas próximas disseram a ela que a cadela não teria futuro, ou viveria uma vida infeliz.

Jadie foi contra todos os conselhos e levou Rosie, sua companheira desde que foi resgatada de um abrigo com pouco mais de um ano de idade, para a cirurgia da mesma forma. “Eu fiquei destruída quando fui buscar Rosie depois da operação,” conta em entrevista ao portal Metro.uk.

“Foi um choque muito grande vê-la sem nenhum olho mesmo sabendo que isso aconteceria. Eu fiquei triste por ela,” completa.

Reprodução | Metro.uk

Logo que a cadelinha voltou para casa, no entanto, ela já estava alegre e saltitante pela casa – como se nada tivesse acontecido. E ficou ainda mais grudada em Diesel, cão que foi também foi resgatado de um abrigo por Jadie.

Mesmo antes da cirurgia, os dois já eram muito próximos. “Ela estava perdendo a vista e isso estava machucando muito ela. Diesel costumava se sentar ao seu lado e lamber o seu olhinho o tempo todo para tentar fazer com que ela se sentisse melhor. Era muito fofo,” conta Jadie.

Depois que o olho de Rosie foi retirado e ela oficialmente não podia mais enxergar, Diesel virou sua espécie de cão-guia.

Reprodução | Metro.uk

Diesel e Rosie dividem a casa com mais dois filhotinhos, Mei e Henzo. Regularmente, Jadie visita sua mãe, que tem mais quatro cãezinhos, Lily, Luna, Blaze e Eddie. Ela sempre leva Rosie e Diesel para passear lá.

“‘Rosie e Diesel sempre foram grudados, mas todos os oito cães são melhores amigos,” explica Jadie. Em sua opinião, são os mais novos que trazem alegria para a vida de Rosie e, não fosse por eles, ela não seria tão feliz.

Reprodução | Metro.uk

Ao perder a vista, os outros sentidos de Rosie ficaram muito mais aguçados. Ela usa o olfato, por exemplo, para seguir o seu companheiro para todos os lados – inclusive quando ele a leva para longe demais de sua tutora.

Jadie conta ainda que encontrar brinquedos para animais cegos é bem difícil, então ela precisa improvisar: frequentemente, corta bolinhas de tênis e coloca sininhos dentro dela, para que Rosie escute e corra atrás dela.

“Ela é uma ótima cadelinha e todo mundo fica apaixonado por ela quando a conhecem. Ela é uma fofurinha,” diz a tutora. “Ela é um ótimo exemplo de como cães podem lidar muito bem com a perda da visão.”

About the Author

Follow me


{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>