Reino Unido pretende abolir exportação de animais vivos


O governo do Reino Unido está propondo a ideia de proibir a exportação de animais para os matadouros após o Brexit (saída do Reino Unido da União Europeia). Nos termos da legislação da União Europeia (UE), o país precisa aderir aos regulamentos de circulação de mercadorias. Mas depois de deixar a UE, o governo será capaz de interromper esse comércio, que matou 4 mil ovelhas transportadas do Reino Unido para a Europa continental em 2016.

O secretário do Meio Ambiente do Reino Unido, Michael Gove, lançou um apelo por evidências de uma potencial proibição, que busca opiniões de toda a indústria, autoridades desconcentradas, instituições beneficentes e o público em geral sobre como o governo pode elevar os padrões de bem-estar animal após o país se desvincular da União Europeia, a consulta vai até 22 de maio desse ano.

O Comitê de Bem-Estar dos Animais da Fazenda também lançou uma revisão das normas de bem-estar existentes para os animais durante o transporte, e isso está sendo complementado por uma pesquisa encomendada pelo Departamento de Meio Ambiente, Alimentação e Assuntos Rurais (Defra), para a Faculdade Rural da Escócia e Universidade de Edimburgo.

As propostas fazem parte de uma série de leis que o Gove está implementando na tentativa de melhorar sua imagem perante os defensores dos direitos animais em torno de questões de bem-estar animal.

Os animais enfrentam longas horas de viagem para os matadouros da Europa.
Os animais enfrentam longas horas de viagem para os matadouros da Europa. (Foto: Shpernik088)

“Todos os animais merecem receber o respeito e cuidado em todas as fases de suas vidas. Este apelo por evidências começa a cumprir nosso compromisso manifesto de controlar a exportação de animais para os matadouros na Europa”, afirmou o secretário.

“Com todas as opções sendo consideradas, estou interessado em ouvir da indústria, autoridades desconcentradas e instituições de caridade sobre todas as opções possíveis e evidências sobre esta questão vital”, acrescentou.

Os ativistas em defesa dos direitos animais estão desapontados com o fato de as propostas serem apenas em torno da exportação de animais vivos destinados aos matadouros, eles afirmam que as medidas poderiam ir mais longe em favor dos animais.

“Infelizmente, parece que qualquer futura legislação se referirá apenas a animais exportados para indústrias de carne. Nós gostaríamos de ver a proibição de animais exportados do Reino Unido para criação em cativeiros para consumo”, disse o porta-voz da Compassion in World Farming, organização protetora dos animais.

O Dr. Marc Cooper, chefe do Departamento de Animais da organização Sociedade Real para a Prevenção da Crueldade contra os Animais (RSPCA), também disse que gostaria de ver toda a exportação sendo proibida.

“É inaceitável e completamente desnecessário que animais vivos sejam exportados e transportados por longas distâncias para morte ou para serem engordados”, finalizou.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CRUELDADE

PRESERVAÇÃO

DADOS ALARMANTES

LEALDADE

LIBERDADE

INCONSCIÊNCIA

CRIME BÁRBARO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>