• Home
  • “Navios da Morte”: portal de notícias da Turquia expõe bastidores da importação de animais do Brasil

“Navios da Morte”: portal de notícias da Turquia expõe bastidores da importação de animais do Brasil

0 comments

O portal Dağ Medya, site independente de notícias sobre economia, política, ciência e meio ambiente, publicou um extenso editorial intitulado “Navios da Morte”, em que expõe o cenário por trás da exportação de gado vivo no Brasil.

Maior parte desse mercado tem como destino a Turquia, país de maioria muçulmana, que importa os animais para abate “halal”, em que os animais são degolados de cabeça para baixo.

A autoria é da jornalista Zülal Kalkandelen. Confira o que os turcos já sabem a respeito da origem da “carne” que consomem:

Personagens

O Deputado Federal Beto Mansur (PRB-SP) encabeça a lista, identificado como um “congressista, criador de gado e acusado de trabalho escravo em suas fazendas”.

Blairo Maggi, atual Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, é lembrado como “segundo político mais rico do Brasil”, agricultor e pecuarista. Também é lembrado pelo “Prêmio Motosserra de Ouro”, atribuído a Maggi em 2005, pela ONG ambientalista Greenpeace, “por sua contribuição à destruição da Amazônia”.

Nem mesmo o presidente Michel Temer foi poupado pela publicação, tendo seu nome associado a “escândalos de corrupção que abalaram o país”, citando inclusive esquemas de fraude envolvendo o porto de Santos, de onde partiu o navio NADA levando cerca de 25 mil bois vivos.

A respeito da empresa Minerva Foods, responsável pela venda dos 25 mil animais e uma das maiores do ramo no mundo, a autora informa a aplicação de mais de 1 milhão de dólares em multas por maus-tratos e outras infrações ambientais envolvidas nos últimos acontecimentos. A autora menciona acusações de suborno de agentes públicos.

O governo da Turquia, por sua vez, estaria impulsionando o comércio de animais vivos com a política da “carne barata”.

Mehmet Yildiz, administrador da empresa Yildiz Shipping, responsável pelo contrato com a Minerva Foods e inúmeros acordos comerciais envolvendo a importação e exportação de animais vivos.

Ações de ativistas

A publicação descreve a ação dos ativistas brasileiros, que colocaram-se à frente das carretas que levaram os animais até o porto de Santos, além das ações judiciais propostas por entidades de proteção animal.

Vitórias judiciais

Desses processos, decorreram inspeções técnicas que evidenciaram as péssimas condições em que os animais são transportados nas carretas e navios.

Isso fez com que não apenas o navio NADA fosse obrigado a desembarcar os cerca de 25 mil animais mas também culminou com a proibição do embarque de animais vivos em todos os portos do Brasil.

Interferência política

O texto narra ainda o triste desfecho, quando, segundo a autora, “em um dia” as decisões judiciais foram derrubadas com uma “manobra política”, quando voltam a ser nominadas as autoridades brasileiras.

A matéria, que conta com diversos vídeos e fotos dos animais sendo transportados em meio a muitas fezes, encerra com uma crítica contundente a esse tipo de comércio e convida o leitor a uma reflexão: “Eu quero ser uma pessoa que apoia essa crueldade terrível em navios da morte?”.

Acesse o link para a matéria original (em turco).

About the Author

Follow me


{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>