• Home
  • Cão resgatado e gatinho com necessidades especiais se tornam inseparáveis

Cão resgatado e gatinho com necessidades especiais se tornam inseparáveis

0 comments

Há um ano e meio, o Valley Cats, Cat e Kitten Rescue, um grupo de resgate em Neenah, Wisconsin (EUA), abrigou uma gata grávida que precisava desesperadamente de ajuda.

Foto: McKenzie Springer

 

“Ela teve que fazer uma cesariana de emergência dias mais tarde e teve oito gatinhos”, disse McKenzie Springer, voluntário do Valley Cats, ao Love Meow.

A mãe e um dos gatinhos faleceram. Os sete filhotes restantes lutaram para sobreviver. Um deles nasceu especial e tinha problemas neurológicos congênitos, mas se destacou como o maior lutador da ninhada.

McKenzie visitou a família adotiva dos gatinhos e conheceu os bebês pela primeira vez.

Nada incomodava o pequeno garoto que se levantava depois de cada queda e continuava brincando como qualquer outro felino. “Ele tinha o rosto mais adorável e era o gatinho mais doce e feliz da sala. Ele me levou às lágrimas, não porque eu me sentia mal por ele, mas porque  mostrou um espírito tão encorajador contra essa adversidade”, relatou.

Foto: McKenzie Springer

Depois de muitas consultas veterinárias, foi revelado um problema nos nervos da parte traseira do corpo do gatinho, o que o fazia oscilar. Ele também tinha problemas de percepção de profundidade, mas os profissionais esperavam que estes melhorassem com o tempo.

Na época, não havia certeza sobre quanto tempo ele viveria, mas isso não impediu McKenzie de querer adotar o filhote especial.

Ela o chamou de Kramer por causa do personagem da série “Seinfeld”. McKenzie tinha dois outros gatos e dois cães quando Kramer foi adotado. O cão Winston, que também foi resgatado, foi até ele e os dois se aproximaram instantaneamente.

Foto: McKenzie Springer

“É como se Winston soubesse que Kramer não tinha uma mãe e necessitava de alguém para guiá-lo em certas situações. Eu disse que Winston tornou-se o ‘Sr. Mãe’ de Kramer”, explicou McKenzie;

Foi o amor à primeira vista. Meses depois, Kramer melhorou e cresceu, mas algumas coisas nunca mudam.

“Winston ainda é muito protetor com Kramer e eles são os melhores amigos. Eles lutam e se abraçam o tempo todo”, disse McKenzie.

Há mais de um ano, eles não tinham certeza se Kramer sobreviveria seis meses, mas ele conseguiu e seu melhor amigo não saiu de seu lado.

About the Author

Follow me


{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>