• Home
  • Políticos britânicos abandonam consumo de carne

Políticos britânicos abandonam consumo de carne

0 comments

Jeremy Corbyn. Crédito: PA
Jeremy Corbyn. Crédito: PA

O líder do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, é vegetariano há 48 anos. Ele se filiou à organização League Against Cruel Sports (Liga Contra Esportes Cruéis, em tradução livre) quando era estudante, e tornou-se vegetariano aos 20 anos, depois de ter trabalhado em uma fazenda de porcos.

Atualmente Corbyn planta grande parte de seu próprio alimento e diz que, em breve, se tornará vegano.

Embora líderes políticos vegetarianos sejam surpreendentemente raros, Corbyn não é o primeiro a adotar uma dieta livre de carne:

Bernard Weatherill

Bernard Weatherill. Crédito: BBC
Bernard Weatherill. Crédito: BBC

Weatherill foi o presidente da Câmara Baixa do Parlamento do Reino Unido que não teve medo de enfrentar Margaret Thatcher quando o Partido Conservador venceu com maioria esmagadora.

Ele se tornou vegetariano quando serviu como soldado na Índia durante a 2ª Guerra Mundial. Durante sua vivência em Bengala, Weatherill incorporou a cultura local, aprendeu língua Urdu e começou a praticar meditação.

O vegetarianismo foi uma reação ao grande sofrimento que ele testemunhou no país em 1943, quando cerca de 2.1 milhões de pessoas morreram, algumas devido à fome, e outras de doenças como cólera, malária, varíola e disenteria.

Sir Stafford Cripps

Sir Stafford Cripps. Crédito: BBC
Sir Stafford Cripps. Crédito: BBC

Cripps foi chanceler durante o governo do primeiro-ministro Trabalhista, Clemente Attlee, logo após a 2ª Guerra Mundial.

Apesar de ter sido um homem rico, ele viveu uma vida moderada, com uma dieta livre de carne e bebidas alcoólicas.

Por muitos anos, Cripps sofreu de uma inflamação do intestino que foi agravada pelo estresse. Em 1950, sua saúde piorou e ele foi obrigado a renunciar. Dois anos depois, Cripps morreu de câncer.

Tony Benn

Tony Benn. Crédito: Getty Images
Tony Benn. Crédito: Getty Images

Amigo íntimo e alma gêmea política de Jeremy Corbyn, Tony Benn atuou como ministro durante os governos de Harold Wilson e James Callaghan. Quase se tornou o vice-líder do Partido Trabalhista no início da década de 1980.

Aos 50 anos, ele se tornou vegetariano inspirado pelo exemplo de seu filho Hilary, que também é membro do Partido Trabalhista.

“Eu nunca gostei da carne, e, há 30 anos, meu filho Hilary disse: “Se o mundo comesse os grãos que usam para alimentar os animais que vão matar, haveria comida suficiente para todos”, disse Benn.

“Naquele momento, minha esposa e eu nos tornamos vegetarianos e nunca comi carne desde então,” acrescentou ele.

Alan Clark

Alan Clark. Crédito: BBC
Alan Clark. Crédito: BBC

Clark foi ministro de Margaret Thatcher, mas foi mais famoso por sua vida amorosa polêmica. Ele era um vegetariano comprometido com os direitos dos animais, mas tinha algumas ideias controversas. Um exemplo disto é o pequeno diálogo entre Clark e o jornalista de esquerda John Pilger:

Pilger: “Eu li que você era vegetariano e está preocupado com maneira com que os animais são mortos”.

Clark: “Sim”.

Pilger: “Sua preocupação não inclui a forma com que os seres humanos, ainda que sejam estrangeiros, são mortos?”

Clark: “Curiosamente, não”.

Fenner Brockway

Fenner Brockway. Crédito: PA
Fenner Brockway. Crédito: PA

Brockway foi um pacifista radical que atuou como secretário geral e como presidente do Partido Trabalhista na década de 1930. Ele parou de comer de carne quando era jovem, em 1908.

Anos mais tarde Brockway notou que o vegetarianismo não era uma ideia popular na sociedade, já que a maioria das pessoas estava preocupada em evitar passar fome, e, por isso, elas não refletiam sobre a origem e a ética do que comiam.

Aos 90 anos, durante um debate na Câmara Alta do Parlamento, ele disse: “Eu sou vegetariano há 70 anos. Acho que sou uma boa propaganda para esta prática”.

Brockway morreu alguns meses antes de completar 100 anos.

Um exemplo norte-americano

Bill Clinton

Bill Clinton. Crédito: Getty Images
Bill Clinton. Crédito: Getty Images

Clinton adotou uma dieta vegana em 2010 depois de ter passado por uma cirurgia de emergência. Segundo ele, a dieta lhe deu mais energia.

“Eu tenho mais energia. Eu nunca me sinto estufado. Deixar de comer alimentos com laticínios me ajudou muito porque eu era alérgico a eles. Agora eu me sinto bem”, disse ele.

No entanto, pessoas veganas repreenderam Clinton quando ele admitiu que come peixe ocasionalmente: “Comer salmão e evitar alimentos de origem animal não torna uma pessoa vegana, torna ela apenas uma pessoa que come menos produtos de origem animal”.

Além dos que já foram mencionados, outros políticos vegetarianos são: Tim Farron, ex-líder do partido Liberal Democrat, Caroline Lucas, uma das líderes do líder Partido Verde britânico e sua antecessora, Natalie Bennett, e o deputado do Partido Conservador Henry Smith, que presidiu o grupo do parlamentar dedicado a proteger o bem-estar dos animais.

Já entre os seus políticos veganos temos: a deputada Trabalhista Kerry McCarthy, a atual Secretária de Wales, Christina Rees Chris Williamson e o novo deputado trabalhista Darren Jones.

About the Author

Follow me


{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>