• Home
  • ONG estima que um cão é abandonado por dia na Região Metropolitana de Curitiba (PR)

ONG estima que um cão é abandonado por dia na Região Metropolitana de Curitiba (PR)

0 comments

O abandono de animais é algo frequente em áreas menos habitadas de Curitiba e Região Metropolitana, no Estado do Paraná. A Sociedade Protetora dos Animais (SPAC) não tem número oficiais, mas estima que ao menos um cão é abandonado por dia na Grande Curitiba. Em algumas vizinhanças o problema é tamanho que está sendo cogitada a possibilidade de espalhar placas para tentar amenizar a situação.

Cadela abandonada com filhotes em área rural em Almirante Tamandaré (PR) (Foto: Divulgação)

A analista de marketing digital Ane Caroline Balmant convive com a realidade do abandono de animais no Bairro Marmeleiro, área rural da cidade de Almirante Tamandaré, onde mora. “A gente quer colocar as placas na estrada para ver se serve de alerta, para não deixarem os animais lá. É o que podemos fazer, queremos algo que comova, porque as pessoas precisam ter ciência de que isso é crime, que não pode ser feito”, diz. Na última semana, dois cães foram abandonados em frente a casa dela e na sexta-feira (25), foi a vez de uma cadela ser deixada no local junto de seus seis filhotes.

Vivendo há apenas cinco meses no local, Ane e o marido já adotaram cinco animais. “A situação é bem complicada. Além do abandono, é perigoso o animal solto na rua, pode causar acidentes, incomoda os moradores, pode trazer doenças”, alerta.

Vivien Midori Morikawa, chefe da Rede de Proteção Animal, confirmou a preferência das pessoas por áreas mais isoladas para a prática do abandono. Para ela, a razão é a impressão de segurança que os lugares com menor circulação de pessoas trazem. “As pessoas têm a falsa sensação de impunidade em áreas mais afastadas. Locais mais isolados e com pouco movimento favorecem o abandono”, relata.

Ainda no bairro Marmeleiro, a agricultora Gracilia Krizizanovski, que é tia e vizinha de Ane Caroline, já resgatou 15 animais. Ane conta que a vizinhança cuida dos animais, mas que não é possível adotar todos. “O pessoal cuida, até para os animais não procriarem, mas é um incomodo. Eles simplesmente jogam os animais lá. Os degradados a gente cuida. Mas é difícil, porque a gente acaba virando acumulador e gera muita despesa”, lamenta.
O abandono de animais é crime previsto no Artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais (9.605/98). A punição é de detenção de três meses a um ano e multa. Em caso de morte do animal, a pena pode ser aumentada.

Omissão do poder público e falta de informação

Para Ane, muitos casos de abandono tem como causa a falta de informação, já que as pessoas não sabem o que fazer com os animais. “Deveria ter uma educação social, as administrações municipais precisam informar sobre os transtornos, não só empurrar o problema. É preciso informar o que as pessoas devem fazer. Falta informação para a sociedade”, reclama em entrevista à Gazeta do Povo.

Vivien explica que não há um procedimento estabelecido que oriente quem não pode mais tutelar um animal. A Rede de Proteção Animal aconselha à população a encontrar pessoas engajadas à causa animal por meio das redes sociais e solicitar a ajuda de ONGs e associações para doar os animais. A Rede se coloca à disposição para dar indicações às pessoas por meio do telefone 156.

Ações municipais

O diretor de Meio Ambiente da prefeitura de Almirante Tamandaré, Adel Cordeiro Pinto, admite que a área rural do município é uma região propícia para a execução destes crimes. Ele garante que, na tentativa de coibir o abandono, uma viatura com dois agentes da Guarda Municipal faz rondas diárias em várias áreas da cidade.

De acordo com um levantamento feito pela secretaria, Almirante Tamandaré tem 36 mil animais nas ruas. O alto número fez com que o município adotasse práticas de assistência às pessoas com animais abandonados em frente as suas casas e implantou um programa de castração. A meta do “Programa Castra Mil” é de castrar mil animais por ano.

O órgão disponibiliza um meio de comunicação com a população para denúncia de abandono ou situações similares por meio do telefone (41) 3699-3092.

About the Author

Follow me


{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>