• Home
  • Após matar cão, homem se voluntaria para atuar em ONG de proteção animal

Após matar cão, homem se voluntaria para atuar em ONG de proteção animal

0 comments

O ex-funcionário de um banco de Manhattan, nos Estados Unidos, se declarou inocente nesta segunda-feira (31) durante uma audiência no Tribunal Supremo de Manhattan, em relação às acusações de crueldade animal por esfaquear um cão no dia 26 de maio deste ano.

Zheheng Feng é acusado de crueldade animal
Zheheng Feng é acusado de matar friamente o cão da namorada e jogar o corpo do animal na lixeira do prédio (Foto: Reprodução / Steven Hirsch / NY Post)

“Esta é uma tragédia para todas as partes envolvidas, e o Sr. Feng está tomando medidas pró-ativas, incluindo o voluntariado com organizações de crueldade animal em um esforço para colocar este assunto para trás”, afirmou o advogado de defesa, Todd Spodek, ao sair do Tribunal.

A parte acusatória ofereceu uma oferta de 1 ano de prisão, além do registro de Feng como abusador de animais, cumprindo a proibição de ser guardião de um animal doméstico durante o período de 10 anos. Contudo, o advogado de defesa recusou a oferta.

Durante a audiência desta segunda-feira, foram ouvidas testemunhas do caso. Uma delas foi o funcionário do prédio de luxo onde a namorada do acusado morava. “Havia uma mulher chorando do lado de dentro e um cão choramingando bem ofegante”, contou a testemunha. Vinte minutos depois, o porteiro achou “uma cabeça de cachorro totalmente ensanguentada, saindo de uma sacola de lixo dentro do depósito de detritos do prédio”, descreveu o promotor.

Feng alegou, durante o julgamento, que ele teria agido em legítima defesa. “O cão começou a me arranhar nos braços, e então eu o esfaqueei no peito”, disse o acusado à polícia no dia 1 de junho.

“O cão começou a sangrar muito. Ele não estava mais se movendo. Ele estava morto. Então eu o coloquei em uma sacola de lixo com a faca e joguei na lixeira do prédio”, confessou Feng.

Segundo o New York Post, haverá outra audiência sobre o caso no dia 10 de outubro.

Nota da Redação: É uma extrema covardia matar um pobre cãozinho de uma forma cruel e tentar sair impune com uma alegação de ‘legítima defesa”. Seres humanos capazes de fazer mal a seres indefesos são capazes de cometer qualquer crime. Por isso, a Justiça deve aumentar as penas em casos de crimes contra a vida animal como forma de impedir que mais casos como esse aconteçam. Um ser que é capaz de tirar a vida de um animal, sem qualquer motivo, é uma ameaça não só para outros animais, como também para os seres humanos.

About the Author

Follow me


{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>