• Home
  • Hospital Veterinário em PE não consegue suprir demanda por atendimento

Hospital Veterinário em PE não consegue suprir demanda por atendimento

0 comments

Após um mês na inauguração do aguardado Hospital Veterinário do Recife (HVR), a população ainda enfrenta problemas de atendimento.

Tutores reclamam das filas de longa espera no hospital (Foto: Manuela Cavalcanti/Esp. DP)

A estudante Isabely Cavalcanti é uma das tutoras aflitas que teve que enfrentar as longas filas para conseguir atendimento para sua gatinha, nesta terça-feira (11). O animal sofria com febre após ter sido mordido por um cão e ter acabado com a visão prejudicada por conta de um sangramento na retina.

“Meu medo é ela ficar cega”, confessa a tutora que aguardou quase três horas pelo atendimento. Diante da situação, a tutora não teve outra escolha para sanar com o sofrimento do animal: teve que automedicar.

Gatinha teve que ser automedicada por tutora após ser atacada
Gatinha foi atacada por cão e não conseguiu atendimento no hospital (Foto: Manuela Cavalcanti/Esp. DP)

O nervosismo com a falta de atendimento também foi sentida pela manicure Analice Silva. “Minha cadela estava quase entrando em convulsão. Eles me orientaram a esperar e, se os sintomas se agravassem, pediram que eu segurasse a cabeça dela para que não batesse em nenhum lugar”, lamentou.

Já Juliana Kelen ficou tão indignada que decidiu procurar o Programa de Orientação e Proteção ao Consumidor (Procon) para denunciar os problemas da unidade. “Estou chocada com esta situação. Estou esperando quatro horas para que minha cadela receba uma simples vacinação contra raiva”, comenta.

Cadela esperou horas por vacina no hospital
Tutora e cadela esperaram mais de 4 horas por vacinação contra raiva (Foto: Manuela Cavalcanti/Esp. DP)

A Secretaria Executiva dos Direitos dos Animais (Seda) explica que como a inauguração do hospital é recente, alguns serviços ainda não foram iniciados e por conta da alta procura, os casos emergenciais estão sendo priorizados. “Chega muito atendimento que nem sempre é emergencial. Diarreia e desidratação não são, mas, caso o animal chegue desmaiado, de fato, é emergência e atendemos”, explica o veterinário João Marcelo Figueiredo.

Quando a unidade foi aberta para atendimentos, ela se comprometeu a fazer 100 procedimentos diários, incluindo vacinas, o que totalizaria 2 mil atendimentos por mês. Três consultórios e uma equipe de nove veterinários foram disponibilizados para o serviço.

Contudo, um balanço das atividades, divulgado pela Seda nesse primeiro mês, registrou 3.190 atendimentos, sendo 2.648 procedimentos gerais, 424 procedimentos cirúrgicos e 118 vacinações. Somente nesta quarta-feira (12), 110 animais receberam atendimento no local.

Pelo fato da procura ser muito alta pelos atendimentos, a Seda abriu um processo seletivo para contratar mais nove veterinários que darão suporte aos atendimentos. O plano é contratos mais 15 profissionais da área nos próximos meses.

About the Author

Follow me


{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>