• Home
  • Cão resgatado de fábrica de filhotes perde os olhos, mas não deixa de ver a beleza de sua nova vida

Cão resgatado de fábrica de filhotes perde os olhos, mas não deixa de ver a beleza de sua nova vida

0 comments

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Foto: Dim the Shar Pei

Seus seguidores nas mídias sociais viram acontecer em tempo real. O Shar Pei Dimitri tinha olhos e, no dia seguinte, eles não estavam mais ali.

“Pensei em não postar. Estava realmente meio de coração partido”, declarou a tutora do cão Sarah Barnett.
Parecia tão repentino, mas o problema dos olhos de Dimitri começou muito antes de sua cirurgia emergencial.

Um dos 280 cães resgatados de uma fábrica de filhotes de Ohio (EUA) em 2012, Dimitri – ou Dim, como Sarah o chama – sempre teve uma visão limitada. Seus médicos achavam que ele enxergava o mundo como se estivesse olhando por um para-brisas turvo.

Eles estimam que o cão tinha entre cinco e sete anos quando foi resgatado. Dim sofreu de (entre outras coisas) entropião, uma condição na qual a pálpebra é voltada para dentro, o que faz com que os cílios arranhem a córnea. Isso pode ser corrigido por meio de cirurgia, mas Dim não recebia cuidados veterinários na fábrica que vendia cães pela internet.

“A Humane Society dos Estados Unidos, para quem trabalho, ajudou com o resgate. Trouxe vários cães de volta para a área de DC, onde um centro de resgate no qual atuo como voluntária acolheu vários cães – mas não Dimitri. Cuidei temporariamente de alguns, eles foram adotados”, explica Sarah.

Quatro meses após o resgate inicial, Sarah recebeu um telefonema da Lost Dog e Cat Rescue Foundation para falar sobre Dim e que ele não estava indo bem no lar temporário. Ele se mudou para o apartamento de Sarah e um mês depois, eles se tornaram oficialmente uma família, de acordo com o Dogster.

Foto: sarahanddim

“No dia em que o adotei, estava levando-o para conhecer outra pessoa e eles decidiram que ele não se encaixaria ali. Antes eu tinha cuidado de dezenas de cães e nunca adotado um. Gostaria de dizer que houve algum tipo de conexão especial ou algo assim, mas não houve. Apenas decidi: posso lhe dar um bom lar”, lembra Sarah.

No início, o mundo era muito assustador para Dim. O som de um carro que passava ou uma bola de basquete poderia assustá-lo, então Sarah o levava para passear à noite quando havia menos pessoas. Com o passar do tempo, ele se sentiu mais confortável e, eventualmente, encontrou a alegria.

Sarah também descobriu a felicidade e logo fez páginas engraçadas para o cão no Facebook e no Instagram.

No primeiro ano após a adoção, Dim passou por uma cirurgia para remover um tumor na perna. Ele também sofria de alergias, por isso sua pele era sensível e delicada. Sua percepção extremamente ruim de profundidade fazia com que muitas vezes ele batesse em objetos, às vezes, ao ponto de machucar sua pele. Ele não era nada do que sua exploradora prometeu aos compradores online.

“Ela garantiu a sua saúde, disse que eles eram sociais, todas essas coisas. Os três cães que eu tinha, incluindo Dimitri, tinham problemas genéticos. Dos três, dois tiveram que ter os olhos removidos”, diz Sarah.

Os olhos de Dimitri foram retirados em junho após um súbito diagnóstico de glaucoma. Sarah levou-o ao veterinário porque seus olhos estavam parecendo estranhos e descobriu que ele precisava fazer uma cirurgia imediata.

“Ele tinha 80% de pressão ocular – a pressão do olho de um cão normal é de 10 a 20%. Então ele basicamente tinha uma dor de cabeça infernal que não estava mostrando”, explica.

Foto: sarahanddim

No dia seguinte, os olhos de Dim se foram. Sarah estava assustada, mas ele não. “Na verdade, ele estava muito mais feliz sem seus olhos. Sua personalidade mudou significativamente quando eles foram removidos. Seus outros sentidos compensam”, relata.

Sarah conta que o apoio que recebeu dos fãs de Dim após a cirurgia foi incrível. Ela espera que a história dele convença as pessoas a não comprar cães e também ressalta a necessidade do acesso público aos relatórios do Departamento de Agricultura para que fábricas de filhotes não sejam mais financiadas. A criadora de Dimitri já havia enfrentado acusações de crueldade aos animais em Nova Jersey antes de se mudar para Ohio.

“É por isso que precisamos que questões de proteção animal sejam levadas a sério porque na verdade são os cães que estão sofrendo. Quando você pensa em 280 cães, é um número, mas isso significa 280 Dimitris”, conclui.

Felizmente, um daqueles Dimitris conseguiu seu final feliz ao lado de Sarah, provando que os cães não precisam de olhos para ver a beleza ao seu redor.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>