• Home
  • A triste vida de ursos polares em cativeiro

A triste vida de ursos polares em cativeiro

0 comments

Por Jéssica Presença / Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Fonte: Sheng Wen Lo

Ursos polares são magníficos predadores que passam a maior parte de suas vidas vagando pelo gelo marinho do Ártico, caçando focas para garantir a refeição do dia. Saber a verdadeira essência do urso e, como eles realmente vivem, livres, torna monstruosamente depressivo vê-los presos em um zoológico. Sobrevivem, muitas vezes, em pequenos recintos, nadam em piscinas mornas, e jantam qualquer coisa,  menos gordura.

Fonte: Sheng Wen Lo

“Em meio ao cenário e habitat artificial, os ursos parecem muito estranhos. É uma realidade forçada”, conta Sheng Wen Lo, que passou um ano fotografando exposições de urso polar em toda a Europa e China para o projeto “White Bear”, – o objetivo é mostrar a triste realidade de ursos polares em cativeiros.

Fonte: Sheng Wen Lo

Não é exclusividade de ursos polares a profunda tristeza vivendo em zoológicos, outras espécies também amargam em gaiolas. Wen Lo decidiu optar pelo urso por acreditar que capturaria imagens que escancaram a realidade desses animais.  No ano de 2011, ao visitar um zoológico, no Bronx, em Nova York, notou a dicotomia da realidade em que vivem os animais. Avistou um urso polar andando em um chão de concreto, ao lado de uma piscina rasa.

Fonte: Sheng Wen Lo

“Quando turistas vêem elefantes em um pedaço de terra, visualmente, parece muito normal. No entanto, sempre que há um urso polar no cativeiro humano, eu diria que 95%  do tempo pareceria muito estranho, porque você não pode criar um ambiente que seja visualmente convincente”, pondera o fotógrafo.

Fonte: Sheng Wen Lo

Em 2014, sem conseguir tirar a triste imagem do urso polar no concreto criado pelo ser humano, partiu fotografando o “urso-branco”. Percorreu zoológicos, parques de animais selvagens e, acreditem, até mesmo em shoppings. Avaliou que são tratados de formas distintas em seus cativeiros. No Highland Wildlife Park em Kincraig, na Escócia, por exemplo, os ursos exploram um espaço ao ar livre do tamanho de um campo de futebol e desfrutam de temperaturas relativamente amenas. Já em um zoológico , em Pequim, na China, os ursos polares são limitados a um pequeno recinto rochoso, onde as temperaturas podem atingir a 100 graus Fahrenheit no verão. É  preciso deixar claro que nenhum animal, preso, fora de seu habitat natural, consegue  viver com dignidade.

Fonte: Sheng Wen Lo

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>