• Home
  • Ativistas lutam para libertar tigre explorado como entretenimento em parada de caminhões

Ativistas lutam para libertar tigre explorado como entretenimento em parada de caminhões

0 comments

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Foto: Thinkstock

Há anos, ativistas pelos direitos animais têm trabalhado para libertar Tony, um tigre-siberiano que é explorado como uma atração turística em uma parada de caminhões em Grosse Tete, nos Estados Unidos. Recentemente, eles renovaram seus esforços na esperança de vê-lo finalmente ser transferido para um santuário.

As condições em que Tony ele tem sido mantido despertam indignação há bastante tempo. Seus defensores explicam que uma parada de caminhões, onde ele é constantemente cercado por ruídos e fumaça de diesel, não é um lugar para um tigre.

Segundo a reportagem do Care2, os tigres são explorados no Tiger Truck Stop desde os anos 80 e o proprietário do local, Tony Michael Sandlin, acumulou diversas violações da Lei de Bem-estar Animal, devido à manipulação incorreta dos animais e à ausência de cuidados veterinários e abrigo apropriado. Além disso, existem condições insalubres de alimentação e faltam funcionários treinados.

Os outros tigres abusados por Sandlin foram removidos do local como resultado de suas violações em 2003, mas Tony foi deixado para trás. Seus defensores trabalharam incansavelmente para sua transferência, mas, apesar das vitórias legais que o salvariam, ele ainda aguarda a liberdade.

Em 2006, Louisiana aprovou uma lei que proibia a tutela privada de grandes felinos. A medida foi introduzida pelo ex-representante Warren Triche Jr., em grande parte por causa de Tony.

Embora os processos judiciais envolvendo Tony ainda estejam em curso, legalmente Sandlin perdeu a batalha há anos e Tony deveria ter sido transferido. Infelizmente, Sandlin obteve apoio suficiente dos legisladores para aprovar uma lei, a Lei 697, em 2014, que isenta apenas a si mesmo dessa proibição.

O Animal Legal Defense Fund (ALDF), que tem trabalhado para defender Tony, afirmou na época: “Isentar  ‘certas pessoas’ (que significa o responsável por Tony) não só removeria as proteções legais de Tony, como também permitiria que um indivíduo como o responsável por Tony acabasse com o processo judicial. Além de manter Tony preso, aprovar essa lei enviaria a mensagem perigosa de que, se você não gosta de uma lei pode apenas contratar alguns lobistas para tentar reescrevê-la – neste caso, a proibição da tutela privada de tigres e outras espécies de gatos ‘exóticos’ de Louisiana”.

Há alguns dias, a ALDF tomou medidas para contestar essa lei, pedindo ao tribunal autorização para intervir em uma ação judicial em curso de Sandlin contra o Estado, argumentando que “essa isenção de um homem” viola a constituição estadual, que proíbe “leis especiais” projetadas para beneficiar um indivíduo particular ou interesse específico”.

“Por quase seis anos, trabalhamos continuamente para libertar Tony do Truck Stop Tiger. Continuaremos a trabalhar em seu nome até que ele seja realocado para um santuário equipado para atender suas necessidades físicas e psicológicas”, disse o diretor executivo da ALDF, Stephen Wells.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>