• Home
  • Porcos são mutilados e enfrentam grave declínio mental em fazenda industrial

Porcos são mutilados e enfrentam grave declínio mental em fazenda industrial

0 comments

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Foto: Mercy for Animals

Imagens perturbadoras que revelam o abuso de animais em um fornecedor de porcos da empresa Hormel foram divulgadas pela organização internacional de proteção animal Mercy For Animals.

O vídeo feito com uma câmera escondida mostra os trabalhadores rasgando os testículos de leitões e cortando seus rabos sem lhes fornecer qualquer alívio para a dor.

Os animais definham por causa de lesões e doenças não tratadas e as porcas obrigadas a dar à luz repetidamente são amontoadas em recintos pequenos e imundos por quase toda a vida.

O vídeo, capturado em Oklahoma em uma fazenda de porcos que é propriedade da Maschhoffs-um dos maiores produtores de porcos dos EUA e um fornecedor da Hormel, mostra também que as porcas feridas e doentes são incapazes de se virar ou até mesmo se deitar nas chamadas “celas de gestação”.

Foto; Mercy For Animals

Os animais extremamente estressados mordem repetidamente as barras de suas jaulas, um sinal que expõe o grave colapso mental que os eles são obrigados a suportar.

Porquinhos aterrorizados não encontram uma forma de se mover e pisam uns nos outros em corredores superlotados.

O uso de celas de gestação tem sido amplamente denunciado como uma das práticas pecuárias mais abusivas do mundo. As grades de gestação são tão desumanas que foram proibidas em 10 Estados dos Estados Unidos e em toda a União Europeia.

Reconhecendo sua crueldade inerente, mais de 60 grandes fornecedores de alimentos, incluindo o McDonald’s, o Burger King, o Wendy’s, o Chipotle, o Safeway, o Kroger, Costco e o Kmart exigiram que seus fornecedores acabassem com essas celas cruéis.

A prática de cortar os rabos dos animais e castrá-los sem analgésicos também foi proibida em muitas empresas apesar de a Hormel ainda permitir essas formas flagrantes de abuso animal em seus fornecedores.

“Confinar porcos altamente inteligentes e sociais em gaiolas tão pequenas que os animais nem sequer podem se virar por quase toda a vida é uma crueldade flagrante”, disse o presidente da Mercy For Animals, Nathan Runkle.

“Nenhum animal deveria sofrer toda uma vida de abusos e violência física. Para os consumidores individuais, a melhor maneira de ajudar a parar esta crueldade é deixar a carne fora de seus pratos”, acrescentou.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>