• Home
  • Nascidos no inferno: cães torturados em testes lutam para sobreviver com dores terríveis

Nascidos no inferno: cães torturados em testes lutam para sobreviver com dores terríveis

0 comments

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

PETA
PETA

Imagens chocantes capturadas dentro da Alfort National Veterinary School, na França, mostram cães criados deliberadamente para desenvolver condições médicas dolorosas e incapacitantes.

Os animais, que incluem golden retrievers e beagles entre outras raças, são forçados a suportar a deterioração muscular e fraqueza sob o pretexto de ajudar os cientistas na pesquisa de tratamentos para a distrofia muscular em seres humanos.

Com a distrofia muscular (DM) – incluindo uma forma particularmente agressiva chamada distrofia muscular Duchenne (DMD) – destroem os corpos dos animais, eles lutam para andar, engolir e até mesmo respirar.

PETA
PETA

A filmagem mostra o rosto de um cão está coberto de vômito porque seus músculos esofágicos tiveram um desenvolvimento muito fraco para que ele engula adequadamente, enquanto a saliva pinga da boca de cães cujos músculos da mandíbula também enfraqueceram.

De acordo com a PETA, alguns cães ficam completamente aleijados antes mesmo de chegarem aos seis meses e metade morre antes de completar 10 meses.

Alguns cães mantidos na instituição são incapazes de comer normalmente e devem ser alimentados por meio de um tubo no estômago, enquanto aqueles que sobrevivem tempo suficiente desenvolvem problemas cardíacos.

PETA
PETA

No vídeo, um homem, supostamente um funcionário do local, diz: “Eu não gostaria de estar no lugar do beagle. O sofrimento é real”.

Os ativistas têm pedido à organização de caridade francesa AFM-Téléthon para parar de financiar os experimentos cruéis em animais e, em vez disso, apoiar somente projetos de pesquisa modernos que não torturam outros seres vivos.

O grupo também pediu que a Alfort National Veterinary School adote métodos de pesquisa humanitários. O vídeo da testemunha ocular foi entregue pelo grupo  francês de direitos animais Animal Testing, de acordo com o Daily Mail.

“Décadas de experiências dolorosas em gerações de cães debilitados e sofrendo falharam em conseguir uma cura ou mesmo um tratamento que pode reverter o curso da distrofia muscular em seres humanos”, disse Julia Baines, conselheira de política científica da PETA.

“Exigimos um fim imediato destas experiências cruéis, inúteis assim como o aumento do apoio para pesquisas sem animais. Um funcionário reconheceu: ‘Eu não gostaria de estar no lugar do beagle. O sofrimento é real “, completou.

A organização questionou a confiabilidade dos experimentos em humanos e sugeriu métodos mais eficazes, como técnicas de ponta envolvendo a coleta de células desnecessárias de pacientes com DMD para desenvolver curas específicas para a doença.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. pelo amor de DEUS em pleno seculo 21 vemos absurdos destes, ate quando iremos admitir alguma coisa relacionado a animais. Em nome de Jesus pessoal façam alguma coisa não é possivel fecharmos os olhos para esta atrocidade.

  2. MEU DEUS! AONDE VAMOS PARAR COM TANTAS MALDADES COMETIDAS EM NOME DA CIÊNCIA? VOCÊS ACHAM QUE DEUS VAI NOS PERDOAR?!

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>