• Home
  • Cadela idosa e abandonada redescobre o afeto e a compaixão ao lado de novos tutores

Cadela idosa e abandonada redescobre o afeto e a compaixão ao lado de novos tutores

0 comments

02
Divulgação

Chelsea Lopez chegou em casa do trabalho à 1h, quando viu uma grande cadela preta a correr ao lado de seu carro. Lopez nunca a tinha visto antes e receava que ela pudesse ser agressiva, mas assim que saiu do carro, percebeu como a cachorra abandonada era doce.

“Notei que ela não tinha uma coleira, mas pela marca no seu pescoço parecia que havia usado uma. Poderia dizer que ela tinha uma família, então presumi que a cadela tinha acabou de sair do quintal de alguém ou algo assim”, disse.

Lopez deixou um pouco de comida e água para ela na varanda e foi dormir. Ela imaginou que a cachorra acabaria por voltar para casa, mas estava errada.

A pobre cadelinha, mais tarde chamada Maggie, chorou toda a noite e nunca saiu da varanda. Lopez brincou um pouco com ela antes de ir para a aula e quando voltou, mais tarde naquela noite, Maggie ainda estava lá. “Ainda acreditava que alguém estaria procurando-a ou que ela iria para casa”, relatou.

Depois de tirar algumas fotos de Maggie, Lopez começou a andar pelo bairro, à espera que alguém a reconhecesse. Maggie seguiu-a o tempo todo, desesperadamente em busca de atenção e amor.

Lopez e seu marido cuidaram de Maggie naquela noite e, no dia seguinte, um oficial de controle de animais a levou para o abrigo de animais local com a esperança de localizar a família da cachorra. Porém, depois que ela foi embora, o casal continuou preocupado com a doce cachorra idosa.

“O meu marido e eu nos apaixonamos por ela e queríamos ter certeza de que estava bem. Por isso, nós a visitamos o máximo que pudemos e, nos dias em que isso não foi possível, verificamos se sua família havia aparecido. Nós queríamos tanto isso”, afirmou Lopez.

Divulgação
Divulgação

Depois de uma semana, sem que seu tutor aparecesse, Maggie foi colocada para adoção, mas não ficou lá por muito tempo. “Nós nos oferecemos logo para levá-la para casa”, disse Lopez.

Maggie não encontrou sua família anterior, mas ganhou incríveis tutores depois. O casal já tinha um cão chamado Charlie, que tinha medo de tudo e grave ansiedade quando ficava sozinho. Eles estavam preocupados porque não sabiam como ele reagiria a sua nova irmã Maggie. Porém, quase imediatamente, Maggie conquistou o coração de Charlie também.

Lopez relatou ao The Dodo: “Quando a trouxemos para casa, eles apaixonaram-se um pelo outro. Ele não lamenta mais quando deixamos a casa contanto que Maggie esteja lá. Ela é a cola da família”.

Cinco meses depois, o casal também adotou Moko, um cãozinho amedrontado que começou a sair de sua concha assim que conheceu Maggie. A cadela faz todos ao redor dela se sentirem seguros e cuida de sua nova família tanto quanto eles cuidam dela.

Alguns meses atrás, Maggie começou a perder peso drasticamente e tornou-se fraca e muito menos brincalhona. Seus pais a levaram ao veterinário, que a diagnosticou com diabetes.

“Meu marido e eu sabíamos que um possível efeito colateral do diabetes era a perda da visão. Quando descobrimos, quisemos fazer todas as atividades que Maggie ama enquanto ela ainda pudesse ver. Fomos acampar, nadamos no lago e fizemos uma viagem”, explicou a tutora.

Desde então, Maggie perdeu muito da sua visão, mas ainda é a cadela mais feliz de todas graças a seus tutores e irmãos amorosos. Ela adaptou-se bem à quase cegueira e ainda adora brincar e passar o tempo com sua família. Ela pode ser idosa, mas é cheia de vida. “Ela foi feita para nós”, disse Lopez.

Divulgação
Divulgação

Fonte: Animais e Companhia

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>