• Home
  • Cachorra abandonada com bilhete comovente ganha uma segunda chance na vida

Cachorra abandonada com bilhete comovente ganha uma segunda chance na vida

0 comments

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Foto: Gavin McIntyre
Foto: Gavin McIntyre

Existem dois tipos de tutores de cães. Há os que tratam os animais com amor e percebem que possuem um compromisso com eles pelo resto de sua vida e existem aqueles que os tratam como se fossem objetos. Os últimos são indivíduos  que abandonam animais domésticos preciosos como se eles fossem móveis velhos na calçada.

Apesar de sabermos que abandonar um animal pode ser difícil e, por vezes, as pessoas que têm a intenção de cuidar de um deles só percebem o tamanho da responsabilidade quando é tarde demais, animais considerados indesejáveis devem ser sempre levados para abrigos.

Em um abrigo ou  centro de resgate, os animais recebem cuidados veterinários adequados, são alimentados e só são adotados por pessoas selecionadas e aprovadas.

Apesar disso, atualmente há mais de 70 milhões de animais abandonados nos EUA e muitos deles acabaram nas ruas porque foram despejados por seus tutores. Alguns passam a vida dessa forma, sempre correndo o risco de se machucarem e nunca têm certeza de onde sua refeição seguinte virá. Outros terão a sorte de serem descobertos, salvos e ganharão uma segunda chance na vida.

Reprodução/One Green Planet
Reprodução/One Green Planet

Gracey é uma yorkshire que foi encontrada em uma pequena transportadora sob uma árvore por um carteiro. Ao contrário da maioria dos outros cães abandonados que são descobertos nas ruas, ela foi deixada com um bilhete do seu antigo tutor. O bilhete diz que Gracey gosta de comida umedecida para cães, tem alguns problemas nos dentes e unhas e foi abandonada porque o tutor não poderia cuidar mais dela.

Após consultar algumas pessoas de um escritório de advocacia nas proximidades, o carteiro decidiu que o melhor era imediatamente levar Gracie a Humane Society do Condado de Bay.

Foto: Gavin McIntyre
Foto: Gavin McIntyre

“Esta foi a primeira vez que vimos uma nota do tutor, mas somos procurados por pessoas que não conseguem mais cuidar de seus cães ou gatos”, declarou Jeannie Wolicki-Nichols, presidente do conselho de administração do grupo.

“Tenho certeza de que eles estavam desesperados, não tinham ideia do que ia acontecer à cachorra ou se a pessoa errada iria pegá-la. Isso não é algo certo”, completou.

Felizmente, Gracey não foi apanhada por uma pessoa cruel com más intenções e terminou no centro de resgate sem qualquer trauma. Agora, o filhote de nove anos está recebendo os cuidados de que precisa.

Foto: Gavin McIntyre
Foto: Gavin McIntyre

Como escrito no recado, realmente os dentes da cachorra estavam  em mau estado e será necessário extrair uma grande parte deles. Stephanie Beiser, coordenadora da adoção de cães da Humane Society diz que a deterioração dos dentes de Gracey provavelmente foi causada por uma dieta pobre em nutrientes, segundo o One Green Planet.

No abrigo, a cachorra finalmente terá a chance de se alimentar corretamente e fazer as cirurgias necessárias para se recuperar. Gracey parece estar se dando bem com os outros filhotes do local. Agora tudo o que resta a fazer é encontrar um lar para esta pequena adorável.

Nota da Redação: Embora devamos comemorar o resgate de Gracey, é preciso ressaltar que cuidar de um animal exige amor e responsabilidade. Eles são seres vivos que experimentam a dor e a emoção assim como nós. Devido à falta de compaixão humana, muitos ficam solitários pelo resto de suas vidas e enfrentam condições árduas para sobreviver.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Bilhete comovente? Bilhete revoltante, isso sim. E ainda a deixou embaixo de uma árvore. Sem saber quem a encontraria, o que seria dela, se morreria ali. Com certeza nem pensaram em investigar quem foi esta pessoa cruel. Com eu disse, não basta resgatar. É preciso ir atrás dessas pessoas sem noção. Se não podia ficar com ela, e isso eu sei que é possível não por maldade, procurasse uma pessoa para adotá-la. Se não encontrasse que a levasse lá no abrigo, deixando a bichinha entre pessoas que, com certeza dela cuidariam. Nunca da forma que fez.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>