• Home
  • Fotógrafa expõe realidade desoladora de animais mantidos em cativeiro para entretenimento

Fotógrafa expõe realidade desoladora de animais mantidos em cativeiro para entretenimento

0 comments

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Jo-Anne McArthur
Jo-Anne McArthur

Por mais de 10 anos, a premiada fotojornalista canadense, Jo-Anne McArthur, usou suas fotografias e palavras para incentivar pessoas de todas as idades e regiões a olhar para animais em cativeiro de uma forma completamente nova. Com histórias trágicas como a de Harambe, o gorila que foi baleado no Zoológico de Cincinnati, grande parte da sociedade já começou a repensar e criticar eticamente a prática de manter animais em cativeiro para o nosso entretenimento.

O problema é que, como acontece com muitas questões na sociedade, a menos que essa exploração ocorra na nossa frente ou que tenhamos mais informações sobre a crueldade e a tristeza nessa indústria, parece mais fácil deixar que isso caia no esquecimento e fique fora de nossas mentes. Porém, Jo-Anne McArthur trabalha para impedir que isso aconteça.

Jo-Anne McArthur
Jo-Anne McArthur

Em parceria com a Born Free Foundation, McArthur visitou vários zoológicos e aquários da Europa e documentou a situação dos animais em cativeiro nesses locais. Com imagens poderosas e ensaios textuais, ela criou o livro  “Captive”, que visa conscientizar as pessoas sobre a situação dos animais em cativeiro em todo o mundo.

A fotógrafa compartilhou algumas das imagens angustiantes que observou. A maioria destes animais confinados vive em um mundo  e repleto de angústia e solidão.

Jo-Anne McArthur
Jo-Anne McArthur

McArthur viu animais que normalmente viajam em rebanhos, como elefantes, sujeitos a um pequeno quarto com nenhuma interação com outro ser. Ela observou animais que deveriam percorrer grandes distâncias na natureza forçados a se agitar pateticamente em recintos inadequados e estreitos.

Enquanto algumas pessoas tentam argumentar que zoológicos são “educacionais”, a obra de McArthur rapidamente revela que esta não é a norma em todos os lugares. Alguns zoológicos nem sequer se esforçam para encobrir a essência do que eles realmente são: prisões.

Ela também fez questão de expor o papel que os humanos possuem ao interagir com os animais, documentando como os visitantes de zoológicos e aquários podem não perceber a tristeza dessa situação.

Jo-Anne McArthur
Jo-Anne McArthur

Suas imagens destacam a crueldade que é usar uma jaula ou uma janela de vidro para separar o espectador de um prisioneiro. Ao capturar os momentos em que as pessoas são justapostas com animais em cativeiro, ela é capaz de ilustrar a injustiça absoluta do confinamento.

Uma imagem capta perfeitamente a ironia da nossa sociedade. Por exemplo, os parques marinhos usam adereços festivos, como balões, quando os animais estão miseráveis.

Jo-Anne McArthur
Jo-Anne McArthur

A fotógrafa incentiva as pessoas a repensarem seus comportamentos e analisarem criticamente zoológicos e instalações semelhantes.

“Estamos em um momento importante na história agora. Mais do que nunca, as pessoas têm pensado sobre a ética de manter animais em cativeiro para o nosso entretenimento. Esta reflexão irá estimular uma nova era, na qual (re) consideramos nosso relacionamento com outros animais. ‘Captive’ pretende ser uma parte dessas importantes discussões”, disse McArthur.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Olha a população tem sim pensado sobre isso, muitos ainda vão por ignorância, enquanto os que raciocinam pensam em outras diversões que circulam fora desse ambiente animal tão devastador pra eles.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>