• Home
  • Cachorro late desesperadamente para avisar tutora que bebê não estava respirando

Cachorro late desesperadamente para avisar tutora que bebê não estava respirando

0 comments

Divulgação
Divulgação

Você já passou por uma situação como essa? Parece até brincadeira, não?! Mas o fato é que foi bem mais real do que a mãe Mindi pensava. Tudo aconteceu em uma tarde quando ela, a bebê de cinco semanas, Rachel, a filha Amanda e o cachorro, Papillon, de dois anos estavam em casa.

Logo depois de ter colocado Rachel no berço, Mindi decidiu ir tomar um banho rápido para depois descansar um pouco do dia. Foi aí que ela ouviu seu cachorro latindo várias e várias vezes. Até então ela não estava preocupada, afinal Papillon vivia latindo por aí.

Mas assim que decidiu atender as “mensagens” do cão, o viu entrar no banheiro e avançar a cabeça para dentro do box onde ela estava com o chuveiro já desligado. Algo estava errado e Mindi tinha que descobrir o que havia acontecido.

Divulgação
Divulgação

Assim, não teve dúvidas. Ela fez o que qualquer um faria: seguiu Papillon. Ele acabou levando-a até o quarto da bebê e pulou no berço, deixando as patas alcançarem a parte de fora dele.

Desesperada, Mindi pegou Rachel no colo e tomou um susto ao perceber o que havia em sua boca: uma mancha azul. Ela não estava respirando.

O que fazer em um momento como esse? A mãe só olhava e tremia para sua querida filha. Logo, ela gritou para que Amanda ligasse para a emergência enquanto ela tentava ao máximo reanimá-la.

O jeito que a mãe, que também é médica treinada, encontrou foi tapar sua boca e nariz e assoprá-los para ver se o ar retornava à seus pulmões. Nada. Mindi repetiu a etapa várias e várias vezes até dar um beliscão bem forte na garota, que começou a chorar.

Divulgação
Divulgação

Pronto. Era um ponto positivo que ela chorasse. Afinal, significaria que Rachel estava respirando. Por isso, a mãe se focou em deixá-la assim: chorando até que, eventualmente, a emergência chegasse.

Para alívio de Mindi, a bebê foi levada para o hospital onde relataram o que acontecera com ela nesses momentos angustiantes:

“Já que os músculos entre o esôfago e o estômago estavam fracos, a comida que ela ingeriu, aproximadamente uma hora antes, acabou indo para seu esôfago e causou um espasmo em suas vias respiratórias, deixando-a sem ar”, contou a médica do hospital em vídeo para o Little Things.

Hoje, a menina conseguiu voltar normalmente ao seu dia a dia graças a Papillon que avisou a dona continuamente sobre o estado da menina naquele dia. Os dois agora são inseparáveis e, se não fosse por ele, Rachel provavelmente não estaria aqui.

Divulgação
Divulgação

Fonte: Best Of Web

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>