• Home
  • Ativistas exigem que Reino Unido proíba todo o comércio de marfim

Ativistas exigem que Reino Unido proíba todo o comércio de marfim

0 comments

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Foto: Mike Hutchings/Reuters
Foto: Mike Hutchings/Reuters

Dezenas de ativistas, cientistas, políticos e celebridades – como William Hague, Jane Goodall, Stephen Hawking e Ricky Gervais – têm pressionado o governo do Reino Unido para proibir totalmente a venda de marfim.

Nesta semana, ministros do país anunciaram a proibição do comércio de produtos de produzidos há menos de 70 anos, mas não estabeleceram medidas definitivas contra esta terrível indústria responsável pela morte de milhares de animais inocentes.

O grupo escreveu uma carta à primeira-ministra Theresa May “apelando ao governo por uma proibição total de vendas de presas de elefante”, que foi uma promessa feita em manifestos partidários de 2010 e 2015.

Diversos elefantes são assassinados por suas presas, mas, no país, o comércio interno de antiguidades feitas com marfim ainda é considerado legítimo. “A legalização do comércio de marfim no Reino Unido alimenta um dos maiores mercados na Europa. O fim de todos os mercados de marfim, tanto nacionais e internacionais, é fundamental para a sobrevivência dos elefantes”, escreveu o grupo.

Mais de 140 mil elefantes africanos foram mortos entre 2007 e 2014. Isso significa que um terço da população da espécie foi dizimada de acordo com um grande estudo publicado em agosto. Apenas 350 mil animais permanecem na natureza, sendo que hoje um elefante é morto a cada 15 minutos em média.

Os signatários da carta incluem Richard Leakey, Joaquin Phoenix, Tim Farron, Caroline Lucas, Ed Miliband e Richard Dawkins, além de mais 19 deputados. A carta foi coordenada pela organização Action for Elephants  antes de o governo anunciar a proibição parcial de vendas de marfim, informou o The Guardian.

Uma conferência mundial sobre o comércio internacional de espécies ameaçadas de extinção (CITES) começa na África do Sul neste sábado, na qual 182 nações irão debater propostas sobre como lidar com esta indústria que tem deixado os elefantes à beira da extinção.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>