• Home
  • Cabras são obrigadas a se equilibrar em árvores para atrair turistas no Marrocos

Cabras são obrigadas a se equilibrar em árvores para atrair turistas no Marrocos

0 comments

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Reprodução/OneGreenPlanet
Reprodução/OneGreenPlanet

É bastante provável que os viajantes que passem entre Marraquexe e Essaouira, dois populares destinos turísticos do Marrocos, se depararem com a visão peculiar e intrigante de cabras se equilibrando nas árvores ao longo da estrada.

Pode surgir a vontade de observar e fotografar essa cena improvável, porém por trás desse “espetáculo”, há uma realidade obscura e cruel, ressalta o One Green Planet.

Enquanto as cabras do Marrocos naturalmente sobem em árvores para comer seus frutos – e certamente aprenderam essas habilidades acrobáticas devido à escassez de outras fontes de alimento no seu habitat seco e poeirento – os moradores locais têm usado essa tendência natural das cabras como um método cruel para gerar lucro.

Como imagens mostram claramente, as cabras são amarradas aos galhos com cordas, presas nas árvores debaixo do sol e de um calor sufocante apenas para atrair turistas à procura de uma foto interessante.

Reprodução/OneGreenPlanet
Reprodução/OneGreenPlanet

Às vezes, os pastores usam um material quase invisível, como um fio de pesca, para amarrar os animais e esconder o fato de que essas cenas singulares são na verdade encenado.

Eles cobram uma taxa para que os viajantes registrem os animais e até posem com eles.

Vários meios de comunicação informaram sobre a capacidade notável dos animais, mas não revelaram nada sobre a prática desumana de amarrar os animais em árvores, nem tentaram conter a crueldade ou educar o público sobre o que realmente acontece.
Por isso, os bastidores cruéis desta prática ainda são praticamente desconhecidos.

Excursões turísticas anunciam a prática como uma atração e incentivam os viajantes a capturarem a “visão mágica”, mas não há nada de mágico sobre maltratar animais em nome do lucro.

No entanto, o público continua financiando esses maus-tratos de animais ao fotografá-las e essa atividade também está destruindo o ecossistema, segundo especialistas.

Além disso, o professor Travis Lybbert explica que estes animais são tratados como “mercadorias que devem se equilibrar em árvores e, caso não sejam considerados úteis, serão vendidos ou consumidos”.

Infelizmente, a mercantilização e o abuso de animais pela indústria turística ocorrem em todo o mundo.

No Marrocos, os camelos são montados à exaustão e dolorosamente amarrados com cordas que cortam seu corpo, macacos são acorrentados pelo pescoço e forçados a realizar truques e as serpentes são drogadas e expostas algumas praças da região.

Na Tailândia e em outras partes da Ásia, os elefantes também são montados por turistas, às vezes até a morte e tigres e ursos são confinados em jaulas para serem exibidos.

Estas são apenas algumas entre as inúmeras situações de exploração de animais e para acabar com isso é necessário que o público não financie essas atividades.

“É ótimo conhecer outra cultura quando você vai para o exterior, mas embora seja possível deixar suas tensões e preocupações em casa, você realmente não deve deixar sua moral”, diz Philip Mansbridge, CEO da Care for the Wild.

Ele acrescenta: “Se você ama animais ou mesmo se você apenas acredita que eles devem ser tratados com respeito, é importante ter discernimento e se certificar de que não está apoiando casos de abuso animal”.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>