• Home
  • Protetora é espancada após denunciar rodeio clandestino no Ceará

Protetora é espancada após denunciar rodeio clandestino no Ceará

0 comments

Divulgação
Divulgação

Um rodeio que funcionava de forma clandestina no Planalto Ayrton Senna, em Fortaleza, foi fechado na noite dessa segunda-feira (2). A denúncia foi feita por uma ativista à Sociedade Protetora dos Animais que foi ao local com apoio da Polícia Militar.

O espaço funcionava na rua Paranaí e, mesmo em plena segunda-feira, atraia um bom público para assistir a competições de homens sobre touros e cavalos. A Sociedade Protetora dos Animais recebeu a denúncia de uma protetora de que um rodeio clandestino estaria funcionando no local.

“Fomos informados por uma senhora que estava assistindo ao rodeio e, ao ver cenas chocantes, entrou em contato com a nossa equipe. E após entrar em contato com a nossa equipe, ela foi brutalmente espancada. Inclusive, estamos com a guia do exame de corpo e delito”, disse um policial.

A autora da denúncia confirma a agressão no último sábado (30) e ressalta que é contra apenas a exploração animal. “Fui agredida, sim. Quebrei o microfone do locutor, sim. Fui ao IML, sim. Minha cabeça ainda dói. Tudo isso, para tentar dizer que eles continuassem a festa, mas que, pelo amor de Deus, esqueçam de colocar os animais”, informou a ambientalista Adriana Fidelino.

Segundo a representante da Sociedade Protetora dos Animais, a realização de rodeios é proibida em Fortaleza, de acordo com uma lei de 2014, que caracteriza a ção como maus-tratos. “O proprietário não apresenta documentação nenhuma. O local também não tem estrutura nenhuma, altamente clandestino. Isso eu confirmo”, disse o policial que atendeu à ocorrência.

O responsável pelo rodeio ainda lamentou a proibição. “Eu estou com o rodeio lotado. O que eu vou fazer para devolver o dinheiro desse povo? Eu sou trabalhador, eu trabalho para ganhar a minha vida. Se eu deixar de fazer isso daqui, como eu vou fazer para ganhar a vida?”, questionou.

A Polícia Militar apoiou a interdição e após uma longa conversa, o público teve que deixar o local reservado para rodeios e o proprietário do local vai responder pelo crime.

Fonte: TV Diário

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. O que o responsável pelo rodeio vai fazer pra ganhar a vida honestamente ou não, é um problema dele mas se continuar a obrigar os animais a trabalhar de graça pra ele, cumpra-se a lei.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>