• Home
  • Presa suspeita de assaltar e espancar idosa cuidadora de 70 cães no Rio Grande do Sul

Presa suspeita de assaltar e espancar idosa cuidadora de 70 cães no Rio Grande do Sul

0 comments

Divulgação
Divulgação

A Polícia Civil prendeu na tarde desta sexta-feira (6) uma mulher de 28 anos suspeita de espancar e assaltar uma idosa de 79 anos no último domingo (1) em São Leopoldo, no Vale do Sinos do Rio Grande do Sul. Ela havia invadido a residência da vítima, que cuidava de cerca de 70 cães e 20 gatos abandonados, e roubado R$ 100.

A prisão aconteceu dentro da delegacia. No momento em que a mulher prestava depoimento, a Justiça aceitou o pedido de preventiva. De acordo com o delegado Heliomar Franco, responsável pelo caso, a suspeita confessou o crime. Ela tinha um relacionamento com um irmão da idosa, e imaginava que havia dinheiro na residência.

“Essa moça frequentou a casa da idosa há um tempo, teve um relacionamento com um familiar da idosa. Imaginou que teria dinheiro, conhecia a rotina dessa senhora, e mora na mesma rua”, disse o delegado. No momento da prisão, a suspeita tinha uma marca no pulso, possivelmente causada pela mordida de um dos cães que estavam na casa.

Após sofrer as agressões, Marina Cândida Pereira havia sido internada em São Lepoldo, mas, devido ao estado de saúde, foi transferida para o Hospital Porto Alegre, na Zona Leste da capital gaúcha. Segundo a instituição, no início da noite desta sexta ela estava em estado estável.

Divulgação
Divulgação

Vizinhos viram fumaça
Marina morava sozinha na residência. Segundo o relato de uma das netas, a avó cozinhava comida para os animais, quando uma pessoa invadiu sua casa e a agrediu, pedindo por dinheiro.

A panela que estava no fogão começou a queimar, e foi a partir da fumaça que os vizinhos encontraram Marina dentro da casa, no bairro Campestre, e acionaram a Brigada Militar e o Sistema de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

De acordo coma família, a vítima teve dentes quebrados e ossos da face fraturados. Apesar de ter problemas de visão, ela conseguiu descrever aos netos que o agressor se tratava de um rapaz jovem. A polícia ainda investiga a autoria do crime.

Segundo familiares, Marina está hospitalizada, aguardando um leito e a data da cirurgia pela qual precisará passar. Uma vez recuperada, passará a dividir a casa com algum familiar, ou irá se mudar para a casa dos netos. “Com certeza, sozinha ela não vai ficar”, garante a neta Daiane Sperb Seganfredo, analista de projetos.

Feira será realizada para doar animais
O bairro Campestre é conhecido pelo abandono de animais. A neta de Marina relata que, especialmente nas proximidades da casa da avó, muitos cães e gatos são largados. “Já virou ponto de depósito. Minha avó não tem condições financeiras, mas não quer deixar os animais na rua”, conta.

Assim que a idosa sair do hospital, a família não pretende mais aceitar os animais, tanto pelo alto custo com ração, quanto por falta de espaço. Pensando nisso, ONGs ligadas à causa animal da região, com o consentimento da família e apoio da Secretaria de Proteção Animal (Sempa), se mobilizaram para organizar uma feira de adoção na cidade.

O evento aconteceu neste sábado (7), das 9h às 16h, na esquina das ruas Conceição e Independência, em frente ao colégio Visconde, no Centro de São Leopoldo. Até lá, a Secretaria deve dar suporte veterinário e encaminhar as castrações.

Divulgação
Divulgação

Fonte: G1

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>