• Home
  • Homem se irrita com latidos e ataca cadela com tesoura de jardinagem em Araras (SP)

Homem se irrita com latidos e ataca cadela com tesoura de jardinagem em Araras (SP)

0 comments

14
Divulgação

Um homem atacou uma cadela com uma tesoura de jardinagem em Araras (SP) na quinta-feira (10). Segundo a Polícia Militar, o agressor disse que estava irritado com os latidos do animal, que passou por duas cirurgias na boca e está em observação. O homem foi liberado após prestar depoimento e vai responder pelo crime de maus-tratos.

O caso aconteceu na Rua Cruz de Souza no Jardim Belvedere. A cachorra SRD (sem raça definida) Brisa, de 3 anos, estava no quintal de casa quando foi agredida. O homem enfiou a tesoura entre as grades e atingiu a cadela.

“Ele dizia que tinha feito isso porque não gostava de nenhum animal, que não suportava cachorro e muito menos os latidos. Ele queria matar a cachorra, e tenho certeza que ia fazer isso se os vizinhos não tivessem parado ele. Foi desumano, pura crueldade, traumatizante”, contou Aparecida de Fathima, irmã da tutora da cadela.

Brisa passou por duas cirurgias e passa bem. Agora, Aparecida teme que o homem volte para agredir os outros cachorros. “Tanto o nosso trauma quanto o da Brisa vai ficar para sempre, com certeza ela vai ficar com medo de qualquer pessoa se aproximar. Meu maior medo é ele ferir os nossos outros seis cachorros ou até mesmo alguém da minha casa, jogar veneno ou alguma coisa assim”, desabafou.

agressao
Divulgação

A Polícia Militar encaminhou o agressor até a delegacia para prestar depoimento. Ele vai responder pelo crime em liberdade. Vizinhos relataram que o homem não retornou mais para casa após a agressão.

 

Tratamento
Brisa foi levada para uma clínica veterinária particular, onde passou pelas cirurgias. Ela deve ter alta ainda nesta sexta-feira (11). O tratamento custou R$ 1,2 mil e, sem condições para conseguir pagar, a família pede ajuda aos vizinhos.

“Estamos aceitando qualquer coisa. Algum produto que possa ser rifado, quantias em dinheiro. Nós realmente não temos como pagar o tratamento dela. O agressor também não se manifestou, ele sumiu. Vamos fazer de tudo para conseguir pagar”, disse Aparecida.

Além disso, a cachorra ainda vai precisar de acompanhamento psicológico. “O veterinário falou que ela se assusta com as pessoas e que isso vai continuar até com o pessoal da minha casa”, explicou.

Fonte: G1

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>