• Home
  • Plantas ornamentais podem ser vilãs para cães e gatos

Plantas ornamentais podem ser vilãs para cães e gatos

0 comments

Divulgação
Divulgação

Confusão mental, aparentemente atordoado, vômito e diarreia, esses são os principais sintomas quando cães e gatos estão intoxicados por plantas comumente plantadas nas residências. A reação varia pela quantidade, mas algumas espécies podem prejudicar muito a saúde do animal e levá-lo a desenvolver, por exemplo, edema pulmonar. O médico veterinário José Carlos Zanella, da Clínica Veterinária Planeta Bicho – Francisco Beltrão e Pato Branco -, alerta sobre as principais plantas que podem fazer mal aos animais.

Na natureza, no caso dos cães, eles desenvolveram o instinto de comer plantas, mas ao mesmo tempo, a dinâmica natural ensinava quais poderiam ser comidas. Dr. Zanella esclarece que, por instinto, os cães vão querer comer plantas novamente, mas no ambiente de casas e apartamentos, eles não sabem diferenciar aquela que pode o prejudicar ou não. “Longe da natureza eles não sabem diferenciar, principalmente os filhotes e animais mais jovens que querem explorar”, comenta o veterinário.

Como é comum os tutores levarem os animais domésticos ao veterinário com intoxicação, Zanella lista as plantas que é melhor ficarem longe dos animais: Hortência (pode causar dificuldades respiratórias), lírio do vale (pode desenvolver alterações cardíacas), mamona (a semente provoca vômito, diarreia, convulsão e pode levar à morte), bico de papagaio (provoca dermatite de contato e sinais neurológicos de fraqueza), flor primavera (dermatite de contato e provoca ardência e feridas), tulipa (pode provocar vômito, diarreia e edema pulmonar) e coroa de cristo (provoca hemorragia urinária).

A planta responsável pelo maior número de intoxicação é a comigo-ninguém-pode, o veterinário alerta que ela pode causar vômito, diarréia e sintomas neurológicos, como confusão mental, tanto em cães como em gatos. Outras plantas que também prejudicam a saúde dos animais são: hera, uma planta conhecida popularmente como trepadeira (provoca alteração cardíaca, vômito e diarréia), o alho (pode provocar fraqueza muscular generalizada), a cebola (pode causar hemorragia generalizada e vômito), cigarro/tabaco (provoca disfunção cardiorrespiratória), maconha (depressão generalizada e dormência) e antúrio (paralisia da língua e salivação).

No consultório muitas vezes se torna difícil fazer o diagnóstico. “Isso porque o tutor do animal não consegue identificar a causa dos sintomas do animal. Se o guardião tem em casa essas plantas, ele deve tentar protegê-­la dos animais, para que eles não cheguem até elas. Na hora que perceber que o animal comeu uma planta, que possa fazer mal para ele, e não puder levar ao veterinário, o dono deve fazer o cão ou o gato ingerir cerca de 10 ml de água oxigenada, que o fará vomitar”, esclarece Zanella.

O veterinário também orienta a jamais dar leite aos animais em caso de intoxicação por planta. “O leite pode colaborar para acelerar a absorção de alguns venenos e ou o líquido pode entrar por falsa via pulmonar e desenvolver uma pneumonia.”, diz.

Fonte: Jornal de Beltrão

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>