• Home
  • Alegando mau desempenho, morador reclama do Canil Municipal de Odivelas, em Portugal

Alegando mau desempenho, morador reclama do Canil Municipal de Odivelas, em Portugal

0 comments

Canil-750x400
Divulgação

Carlos Paixão, dos Campos de Caneças, em Portugal, apresentou queixa-crime na PSP de Caneças contra uma funcionária do Canil Municipal de Odivelas por alegado comportamento desta funcionária em relação a um animal ferido.

Em entrevista, o morador disse que no dia 10 de fevereiro, por volta das 12h30, apareceu à sua porta um cão de grande porte, de raça indefinida, com ferimentos do lado direito (dois furos) e que se chamava Max. Carlos tentou ajudar como pode desinfetando o animal e dando-lhe um comprimido para aliviar as dores. “O animal não parava de ganir, em sofrimento”, disse.

Carlos contatou o Gabinete do Médico Veterinário Municipal para pedir ajuda. “A senhora Ana Rufino tomou nota da ocorrência e disse que iriam resolver o problema. Depois ligou-me a senhora Rosa Teixeira a dizer que às 16h vinham buscar o Max para o tratar”.

Segundo o queixoso de facto a funcionária do canil foi lá na carrinha de serviço mas “Para meu espanto, não levou o animal nem o tratou. Com ela estava uma criança de 12 anos que me disse ser neto da tutora do cão. Deu à criança uma corda grossa que foi amarrada ao cão e a criança foi arrastando o animal, que não podia andar. Sei que a tutora mora em Vale Covo que é longe daqui. Imagino o que o animal terá sofrido”.

Carlos relata que não consegue se conformar com este comportamento. “Se a senhora não podia tratar o cão, pelo menos que o levasse à tutora na carrinha do canil. Aquilo foi um abuso e maus-trato ao animal, coisa que até a lei condena. Já estou arrependido de nessa altura, não ter chamado a polícia”. Por isso Carlos ligou para a GNR que o aconselhou a apresentar queixa à PSP da sua zona. Por isso a 11 de fevereiro foi à esquadra de Caneças onde foi atendido pela chefe Elsa a quem formalizou a queixa.

Carlos ainda disse que no dia 11 ligou para a médica veterinária municipal que “Foi incorreta comigo, dizendo que estava a meio de uma operação e que deixa-se o Max em paz”. O morador vai também apresentar queixa na Câmara Municipal de Odivelas porque alega estar revoltado com a forma como tratam um animal que vem precisar de socorro. “Vou levar o assunto até onde for possível”, ressalta.

O portal de notícias local, questionou a médica veterinária municipal, Maria João Nabais, que se defensou alegando que “O cão tem tutor e nós sabíamos quem era. O que aconteceu é que o tutor em vez de manter o animal em seu quintal o deixou à solta. Essa pessoa já cá esteve na sexta-feria passada (dia 12). O cão foi medicado. O senhor até dizia que o cão tinha sido baleado, mas o cão deve ter sido mordido. Para além de ser medicado foi vacinado para a raiva, que estava em falta, e a senhora foi intimada a mantê-o na propriedade dela que o cão não deve andar à solta que ainda se pode pegar com outros e arranjar chatisses”.

Quanto à chamada telefónica, ela explica que “O senhor ligou para o gabinete dizendo que era uma chamada particular, e não era, era uma chamada de trabalho, e foi extremamente desagradável. Estava a meio de uma operação, atendi porque o senhor disse que era o João Carlos e que era uma chamada particular. Como não conheci o nome fiquei preocupada e por isso atendi. Disse-lhe que o assunto estava a ser tratado e que para a próxima vez não arranjasse subterfúgios para falar comigo”.

Quanto ao Max a médica veterinária disse que está tudo regularizado. “Temos o caso pendente para depois ir verificar se a senhora está a cumprir o que lhe foi dito. O tratamento que lhe foi receitado é para uma semana e na sexta-feira o cão já estará melhor”.

*Esta notícia foi escrita, originalmente, em português europeu e foi mantida em seus padrões linguísticos e ortográficos, em respeito a nossos leitores.

Fonte: Odivelas Notícias

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>