• Home
  • Moradora do Nova Catanduva (SP) é autuada por maus-tratos

Moradora do Nova Catanduva (SP) é autuada por maus-tratos

0 comments

Bernardo foi resgatado com vários ferimentos (Divulgação)
Bernardo foi resgatado com vários ferimentos (Divulgação)

Uma mulher de 34 anos, moradora do bairro Residencial Nova Catanduva I foi multada em R$ 3 mil pelo crime de maus-tratos em Catanduva. O caso ocorreu no último sábado (14).Segundo informações da Polícia Militar Ambiental, após uma denúncia anônima, equipes descobriram que ela deixava o cão em uma casa sem comida e com ferimentos por todo o corpo.

A tutora do animal foi multada em R$ 3 mil pelo crime de maus-tratos. Ela ainda pode responder pelo mesmo crime, que tem pena que varia de três meses a um ano de prisão. O animal foi recolhido por protetoras que encaminharam o cão para uma clínica particular, onde foi feita transfusão de sangue. O cão estava com anemia e doença do carrapato. Ele deve ficar internado até amanhã (18). Após receber alta, ele ficará a disposição para a adoção.

As protetoras disseram que o animal é brincalhão, carente e que só precisa de um novo lar para esquecer os maus-tratos sofridos. Para quem quiser adotar o cão que se chama Bernardo, é só entrar em contato pelo telefone (17) 997779907.

Esse não é o único caso de maus-tratos registrada no Nova Catanduva I. Em setembro deste ano, o vídeo de uma cachorra amarrada sem proteção durante forte chuva no mesmo bairro teve 13.590 visualizações em poucos dias. O vídeo foi compartilhado nas redes sociais e causou comoção. Muitos dos usuários se mostraram indignados com a ação. Foram quase 300 compartilhamentos com críticas sobre a atitude. Existem relatos de que esse não é um caso isolado, já que como as casas foram entregues recentemente, não possuem muro ou cobertura na parte dos fundos ou laterais que em muitas vezes protegem os animais domésticos.

Outro crime semelhante

Em março deste ano, uma mulher, moradora do Conjunto Euclides em Catanduva, foi autuada em R$ 3 mil por maus-tratos ao cão que ela havia adotado. Segundo o Tenente Luiz Octávio Cavalheiro, Comandante do Pelotão de Polícia Ambiental de Catanduva, a equipe teve conhecimento do caso dias antes quando um policial ambiental viu no Facebook que havia um cão em estado de maus-tratos na cidade. O caso teve grande repercussão nas redes sociais com vários compartilhamentos feitos por entidades de proteção a animais.

Diante disso, os policiais conseguiram o endereço e todos os dados da tutora do animal. Policiais foram até a Associação Solidária aos Animais (ASA) no Parque Iracema, onde segundo denúncias, estava o animal que havia sofrido maus-tratos. Lá um dos membros da associação informou que o animal passou pela instituição, onde recebeu os primeiros cuidados pelo médico veterinário. O cão que recebeu o nome de Ramon foi diagnosticado com Sarna demodecica, também chamada popularmente como sarna negra, que não tem cura, mas pode ser controlada. O animal também apresentou sinais de desnutrição, causada pela falta de alimento.

Fonte: O Regional

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Que bom que as leis existentes estão começando a ser colocadas em pratica. Infelizmente, eh a única forma de baixar o índice de crueldade contra animais.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>