• Home
  • Ativista pelos direitos animais inspira e transforma 8% dos israelenses em veganos

Ativista pelos direitos animais inspira e transforma 8% dos israelenses em veganos

0 comments

(da Redação)

Gary Yourofsky. Foto: Gary Yourofsky/Facebook
Gary Yourofsky. Foto: Gary Yourofsky/Facebook

Gary Yourofsky é um nome conhecido entre os veganos. O ativista dos direitos animais, de Detroit, Michigan, nos Estados Unidos, é creditado como a pessoa que convenceu mais pessoas a virarem veganas no mundo – incluindo 8% da população israelense. Isso se deve a um discurso de uma hora ministrado nos EUA que foi gravado, traduzido para o hebraico e compartilhado nas redes sociais.

Nele Gary, um judeu de 45 anos, chama os matadouros de “campos de concentração” e compara o tratamento dado aos animais ao Holocausto.

O discurso é o mais visto na história de Israel e acredita-se que tenha sido catalisador para que uma grande parcela da população de Israel tenha se tornado vegana.

De acordo com a mídia israelense, Yourofsky é responsável por ter aumentado a população vegana de Israel de 5% para 13%.

Gary foi preso 13 vezes, é proibido de entrar na Grã-Bretanha (apesar de nunca ter sido condenado por um crime no país ou ao menos visitado) e no Canadá. Ele também passou um tempo em uma prisão de segurança máxima após invadir uma indústria de couro.

Gary Yourofsky palestrando em Israel (Foto: Gary Yourofsky)
Gary Yourofsky palestrando em Israel (Foto: Gary Yourofsky)

Em entrevista concedida ao Metro.co.uk, Yourofsky falou por que aderiu a um estilo de vida sem crueldade. Confira o texto do ativista abaixo.

Como uma espécie dita tão inteligente e civilizada pode justificar inseminar artificialmente / estuprar fêmeas para que possa roubar seus bebês após o nascimento e esses bebês, junto com as suas mães, sejam escravizados, estuprados e assassinados?

O judeu Isaac Bashevis Singer explicou certa vez: ‘O que eles sabem – todos esses estudiosos, todos esses filósofos, todos os líderes do mundo?

Eles se convenceram de que o homem, o pior transgressor de todas as espécies, é o rei das espécies. Todas as outras criaturas foram criadas apenas para fornecer-lhe alimentos, peles, para serem atormentadas, exterminadas. Em relação a eles [os animais], todas as pessoas são nazistas; para os animais é um Treblinka eterno.

A acusação de Singer é provavelmente a declaração mais contundente sobre a humanidade.

Ele estabelece o fato de que a violência é violência e o assassinato é assassinato, mesmo que as vítimas tenham bicos, chifres, brânquias, penas ou pelos. Animais foram as primeiras vítimas da escravidão, da opressão e do assassinato. Foi por meio deles que os seres humanos aperfeiçoaram suas técnicas psicóticas para usar em si mesmos.

O fato de que Heinrich Himmler, comandante da Gestapo que criou sistema da câmara de gás do Holocausto judeu, era um assassino em massa de galinhas antes de orquestrar o assassinato em massa de seres humanos faz com que o ponto referido acima seja impossível de impugnar.

Se você for para o matadouro ou a granja mais próxima e tirar os animais e os substituí-los por judeus – ou pessoas com deficiência, negros e ciganos – Birkenau teria ressuscitado. Então, a pergunta que eu quero que você reflita é como quando vacas, porcos, galinhas, perus e peixes são vítimas, todos esquecem como pensar de forma clara e compassiva?

A atrocidade mundial de comer animais e vestir peles de animais é responsável pelo assassinato em massa de mais de 150 bilhões de animais inocentes por ano. Se somarmos todos os seres humanos que foram escravizados, estuprados e assassinados desde o início do tempo, não chegaria sequer a 1 bilhão.

O Holocausto animal continua a ser a mais maciça e mais longa campanha de assassinato de todos os tempos. Por isso o veganismo é o aspecto mais importante dos direitos animais, porque quase todos os animais que foram abusados e mortos neste planeta foram abusados e mortos pelas indústrias de carne, lácteos, ovos e mel, apesar dos seres humanos não terem o direito – nem a necessidade – de mercantilizar animais e transformá-los em sanduíches e sapatos.

Os direitos fundamentais à vida, à liberdade e à integridade física – direitos que todas as pessoas que lêem este textos demandam ou tomam como garantidos – não devem ser exclusivos para os seres humanos.

Pequenos grupos de pessoas não deveriam ter que convencer as massas constantemente a pararem de escravizar e assassinar grupos de seres inocentes, animais ou humanos.

Felizmente, a Terra Santa tem ouvido a mensagem dos direitos animais e respondido com prudência, compaixão e clareza. Isso porque, em 2010, alguns ativistas colocaram legendas em hebraico na minha palestra de 70 minutos sobre veganismo e partilharam nas redes sociais.

Esse discurso é até o momento o discurso mais visto na história de Israel, com bem mais de 1 milhão de visualizações. Em uma população de 7.000.000, isso significa que um em cada sete israelenses viu o vídeo.

Já que tantas pessoas estavam ansiando por mais informações, eu embarquei em uma das campanhas mais eficazes dos direitos animais por seis semanas entre 2012 e 2013, dando cerca de 25 palestras nos teatros e faculdades lotados em Jaffo, Tel Aviv, Jerusalém, Be’er Sheva, Givatayim e Haifa.

Também realizei mais de uma dúzia de entrevistas para jornais, rádios e TV. Os resultados têm sido surpreendentes.

Antes de hebraicas legendas terem sido adicionadas ao meu discurso, 5% da população israelense era vegetariana / vegana. Agora, as estimativas têm subido para 13%, e a venda de carne e produtos lácteos caiu 7%.

A demanda por produtos veganos forçou T’nuva, o maior produtor de leite em Israel, a produzir quatro iogurtes de soja, Domino’s adicionou queijo vegano em todos os seus 50 estabelecimentos e mais de 700 restaurantes converteram pelo menos 25% dos seus cardápios em pratos veganos.

Muitas pessoas têm me perguntado por que a mensagem vegana ressoa tanto em Israel.

Depois de dar 2.660 palestras nos Estados Unidos para mais de 60.000 estudantes, descobri que os judeus, juntamente com os negros, as mulheres, os homossexuais, os povos latino-americanos e outras populações oprimidas, têm pouca dificuldade em compreender os males da discriminação, já que todos os seres oprimidos entendem como é ser marginalizado e tratado como nada.

Eu nunca pensei que veria uma mudança tão grande para o veganismo na minha vida.

Israel vai, um dia, tornar-se a primeira nação a abolir os campos de concentração de animais de uma vez por todas. Apesar do meu discurso ter iniciado a discussão em Israel, os ativistas israelenses são os têm transformado a Terra Santa.

Eles são, sem dúvida, os ativistas dos direitos animais mais eficazes do planeta.

Foto: Gary Yourofsky
Foto: Gary Yourofsky

Leia mais sobre Gary Yourofsky no site.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>