• Home
  • Defeito congênito nas pernas salva bezerro da morte

Defeito congênito nas pernas salva bezerro da morte

0 comments

(da Redação)

Foto: Vimeo/Edgar's Mission Sanctuary
Foto: Vimeo/Edgar’s Mission Sanctuary

Quando a bezerra Pixie nasceu, ela parecia perfeita. Porém ao tentar ficar de pé, notou-se que havia algo errado com a sua constituição física.

Pixie nasceu com uma deformidade incapacitante em suas pernas dianteiras, que são permanentemente dobradas nos joelhos, publicou o The Dodo. O animal recém nascido não podia sequer colocar os seus cascos no chão, e mal seria capaz de trotar a uma curta distância.

Foto: Vimeo/Edgar's Mission Sanctuary
Foto: Vimeo/Edgar’s Mission Sanctuary

Sua condição poderia significar um desastre para uma vida já condenada: nascida em uma fazenda de laticínios, ela tinha à sua frente uma vida de constantes gestações e finalmente seria morta para consumo humano. Mas, por sorte, as suas pernas defeituosas a salvaram. Um funcionário da fazenda sentiu-se tocado pelo pequeno bezerro – que estava lutando para sobreviver – e achou que ela mereceria uma chance.

Ele levou-a até o santuário australiano Edgar’s Mission, mas logo ficou claro que as seis semanas na fazenda já haviam produzido uma vítima.

Foto: Vimeo/Edgar's Mission Sanctuary
Foto: Vimeo/Edgar’s Mission Sanctuary

“As suas pernas estão um desastre”, disse Pam Ahern, fundadora do Edgar’s Mission, no vídeo da chegada de Pixie. “Elas estão muito piores do que eu pensava”.

A pequena bezerra estava também faminta, e problemas digestivos haviam feito cair os pelos de suas pernas e cauda. No entanto, ela estava dócil, aceitando avidamente a afeição de Ahern e de outros membros da equipe.

“Se eu sei algo sobre essa pequena garota, é que ela quer viver”, disse Ahern.

Foto: Vimeo/Edgar's Mission Sanctuary
Foto: Vimeo/Edgar’s Mission Sanctuary

A nova família de Pixie começou a agir, limpando-a e alimentando-a com uma mamadeira. Ahern examinou as pernas de Pixie, que inicialmente pareciam estar fundidas nos joelhos, e tentou gentilmente alongá-las, enquanto a confiante bezerra permanecia quieta.

“Estão muito contraídos e tão tensos”, disse Ahern sobre os tendões da perna do animal.

Foto: Vimeo/Edgar's Mission Sanctuary
Foto: Vimeo/Edgar’s Mission Sanctuary

Pixie animou-se rapidamente com o cuidado amoroso que recebia. Um vídeo postado dois dias depois de sua chegada ao santuário mostra a pequena bezerra com um novo brilho nos olhos, enquanto tropeça nas suas frágeis pernas.

“Ela está tendo muita dificuldade para andar, mas vem melhorando desde o primeiro dia”, conta Ahern, acrescentando que estão conseguindo alimentá-la, e que não sabe como ela se alimentava na fazenda entre os outros bezerros, com os quais certamente tinha de competir.

Foto: Vimeo/Edgar's Mission Sanctuary
Foto: Vimeo/Edgar’s Mission Sanctuary

E Pixie logo terá mais caminho a percorrer. Um veterinário confirmou as suspeitas de Ahern de que os seus tendões estão muito apertados, e revelou que os seus ombros também foram afetados – mas um diagnóstico positivo indicou que a jornada de Pixie rumo à saúde pode começar.

Como a maior parte dos bezerros não vive por muito tempo, não há um protocolo padrão para lidar com problemas como os de Pixie. Mas o santuário informou em um post no Facebook que será usada uma combinação de “injeções, extensores, fisioterapia e amor” para fortalecer as pernas de Pixie e ajudá-la a ter uma vida melhor.

Apesar do fato de que tratar as suas pernas agora será mais difícil uma vez que ela não foi tratada assim que nasceu, o Edgar’s Mission não está se sentindo intimidado com a tarefa. Afinal, não é correto deixar-se abater pelo diagnóstico de Pixie quando, em uma miraculosa reviravolta do destino, foi a única coisa que salvou a sua vida.

Foto: Edgar's Mission Sanctuary
Foto: Edgar’s Mission Sanctuary

“Nós iremos fazer o nosso melhor, para dar a Pixie uma vida que verdadeiramente valha a pena ser vivida”, disse Ahern. “Isso é o que eu quero acima de tudo”.

Para saber mais sobre o trabalho de ajuda a Pixie e a outros animais no Edgar’s Mission, visite o site.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. O funcionário da fazenda que se comoveu com a deficiência de Pixie, não deve se emocionar igualmente em relação aos outros animais que sofrem lá ou já teria sido despedido por justa causa se com TODOS eles agisse com misericórdia ao invés de frieza. Numa fazenda de laticínios os dolorosos dramas de animais são a rotina de horror que não deveria ser, principalmente para a maioria dos bebês que nasce perfeita para ser escrava de produção em massa até seus “proprietários” decidirem quando, não importa quanto chorem, esperneiem, gostem ou não.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>