• Home
  • Cães e crianças com condições faciais se encontram e provam que é ok ser diferente

Cães e crianças com condições faciais se encontram e provam que é ok ser diferente

0 comments

Emma e sua tutora, Erin Johnson. Foto: Penn Vet
Emma e sua tutora, Erin Johnson. Foto: Penn Vet

Organizado pelos médicos e veterinários da University of Pennsylvania, o Best Friends Bash (Baile do melhor amigo, tradução livre), foi um encontro muito especial que aconteceu em julho deste ano, de crianças e cães especiais.

Todas as crianças passaram por cirurgias devido à condições cranofaciais, assim como os cachorros presentes.

Alexander Reiter, chefe de odontologia e cirurgia oral na Penn Vet, reforça a importância de encontros como esse. “É uma chance para que as crianças vejam que ser diferentes também pode ser bom. Ver essas crianças e como elas abordam os cães, tocando seus rostos. E os cachorros, de alguma maneira, parecem saber exatamente o que elas estão fazendo e o porquê. Eles adoram”, afirma.

Atendendo ao evento, Erin Johnson levou sua cadela Emma, que há 4 anos foi diagnosticada com um tumor em sua mandíbula. Ao passar pela cirurgia, boa parte do osso foi removida. Erin garante que, mesmo estando diferente esteticamente, nada mudou na natureza amigável de Emma. “Há algo que acontece entre uma pessoa e um animal, não importa se é criança ou adulto. Emma não vai julgar ninguém. Ela não olha, reage ou trata ninguém de forma diferente. Eu acho que isso é especialmente importante para essas crianças, que já passaram por tanto”, concluiu.

A importância do laço entre cão e seus tutores também é colocada em evidência através da história de Sarah Graham, 19, que depois de passar por suas nona cirurgia há 3 anos, mostra o quão confortante foi ter a presença do cão consigo.

“Todo mundo que entrava no meu quarto era ou médico ou enfermeira. Todo mundo perguntava como eu estava. O cachorro veio, subiu na minha cama e deitou. É como se ele já soubesse da minha dor. Ele me fez sorrir”, conta.

Eventos como esse reúnem famílias, as inspiram a contar suas histórias e, principalmente, mostram que elas não estão sozinhas na luta. Para as crianças, é positivo a diversão com amigos que, como elas, também têm algo em seu físico que as diferencia.

Fonte: Portal do Dog.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>