• Home
  • Metade da população de saigas do mundo morreu no mês passado

Metade da população de saigas do mundo morreu no mês passado

0 comments

(da Redação)

Foto: CC By 2.0/Igor Shpilenok
Foto: CC By 2.0/Igor Shpilenok

A saiga é uma subespécie de antílope conhecida por seu focinho grande e flexível, que pode inflar para ajudá-la a respirar melhor em verões secos ou invernos rigorosos no Cazaquistão. No verão, os seus pelos são finos e escassos, mas no inverno eles engrossam como lã.

Antes dos anos 90, estima-se que mais de um milhão de saigas vagavam pela Ásia Central, mas desde então a população sofre perdas dramáticas. No ano passado, o número total de indivíduos caiu para aproximadamente 250.000 animais, fazendo com que a espécie passasse a ser considerada criticamente ameaçada.

Mas esta primavera, que começou na região em meados de maio, trouxe um desastre ainda maior à espécie. Cerca de metade da atual população de saigas morreu, vítima de uma doença não identificada. Uma contagem oficial divulgada recentemente pelo United Nations Environmental Program contabilizou a morte de mais de 120.000 animais, com uma investigação ainda em curso. As informações são do TreeHugger.

Conservacionistas e biólogos estão trabalhando para entender a causa da mortandade em massa. Pesquisadores do Cazaquistão estão coletando amostras de tecido de corpos de animais mortos, para análise. A Convenção sobre a Preservação de Espécies Migratórias de Animais Selvagens, uma das organizações que determinam quais espécies são consideradas em extinção, enviou um time de emergência ao país com especialistas da Royal Veterinary College do Reino Unido e da Food and Agriculture Organization.

De acordo com a WWF, as saigas geralmente viajam em rebanhos de 30 a 40 indivíduos, mas durante a estação migratória da primavera, milhares andam juntos. As fêmeas dão à luz todas ao mesmo tempo, que dura frequentemente o período de uma semana. É provável que esse encontro tenha feito com que o vetor da doença se espalhasse entre os animais. Rebanhos inteiros foram dizimados, com mães sendo encontradas mortas ao lado de seus filhos.

Antes da morte em massa, a principal ameaça para as saigas era a caça por sua carne e chifres, que são usados na medicina tradicional chinesa.

“Esta perda é um duro golpe para a preservação da saiga no Cazaquistão e no mundo, visto que 90% da população global desses animais é encontrada em nosso país”, disse Erlan Nysynbaev, Vice-Ministro da Agricultura no Cazaquistão, em um comunicado à imprensa. “É muito doloroso testemunhar essas mortes”.

 

 

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Por que os chineses insistem em usar partes de animais na medicina tradicional? Provavelmente, existem substitutos com as mesmas propriedades, se é que um chifre ou outro órgão tenha “poderes”. Apesar da matéria se referir a uma provável “doença”, a principal é a existência do homem.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>