• Home
  • Falta de veterinários compromete atendimento do Samu para animais

Falta de veterinários compromete atendimento do Samu para animais

0 comments

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência Veterinária (SamuVet) de Florianópolis está comprometido devido à falta de médicos veterinários. Dois profissionais atendem toda a demanda e os animais que precisam de socorro durante os finais de semana ou à noite ficam sem atendimento.

As estudantes Yasmin Oliveira Meira e a personal trainer Kelly Cristina Pinheiro ajudaram a socorrer um cachorro que foi atropelado. Elas entraram em contato com a Polícia Militar para acionar o Samuvet, mas não conseguiram o atendimento.

“O [Departamento de] Zoonoses não funciona à noite. O acidente foi à noite, mas pode ser o Samuvet, mas não atendia. O Samuvet é uma lenda, diz que existe e na hora do vamos ver, não aparece”, afirma Yasmin.

O vira-lata foi levado para hospitais veterinários particulares e o caso repercutiu nas redes sociais. “Foi bastante empolgante justamente por isso. Foi o que nos deu força para continuar adiante. O pessoal foi realmente se envolvendo, colaborando, se preocupando com a causa”, diz Kelly.

Com as contribuições, o atendimento do cãozinho foi garantido, mas ele teve uma ruptura total de medula, não vai voltar a andar e aguarda a adoção.

Quadro reduzido

De agosto a setembro de 2014, o serviço contou com atendimento 24h e até março de 2015 havia cinco veterinários. Atualmente, há apenas dois.

“Quatro eram contratados em um período fixo e esse contrato deles encerrou no mês de março. Então ficamos apenas com um outro contratado recentemente num processo seletivo que já encerrou também. Depois conseguimos mais uma veterinária”, explica Maria de Fátima Martins, diretora de Bem-Estar Animal de Florianópolis.

O quadro reduzido de funcionários atrapalha também o atendimento de outros serviços da diretoria. A castração por exemplo, está parada há dois meses. Somente casos de urgência são atendidos.

“Nós temos dias em que a veterinária de cirurgia fica direto, praticamente oito horas, fazendo cirurgia de emergência, atendimento aos animais que chegam doentes e maltratados”, detalha a diretora.

A Diretoria pediu ajuda para a prefeitura. “Nós já temos a sinalização de empréstimo de mais um veterinário e estamos conversando da possibilidade de pelo menos mais dois. Isso até que os três concursados chamados possam assumir suas funções”, informa Maria de Fátima.

Fonte: G1

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>