• Home
  • Induzido pela polícia, pit bull reage e morde cinegrafista em Curitiba (PR)

Induzido pela polícia, pit bull reage e morde cinegrafista em Curitiba (PR)

0 comments

Por Mariana Dandara (da Redação)

Foto: Getty Images/Flickr Select Pit Bull
Foto: Getty Images/Flickr Select Pit Bull

Nesta quarta-feira, 29, no centro de Curitiba (PR), durante protesto dos servidores estaduais, o cinegrafista da TV BAND, Luiz Carlos de Jesus, foi mordido por um cão da raça pit bull, usado pela Polícia Militar do Paraná. O cão mordeu a perna esquerda do homem, que devido à perda de sangue, foi levado ao hospital em seguida. As informações são da Carta Capital.

Essa lamentável situação traz à tona dois problemas: o preconceito contra os pit bulls, que alcançará dimensões ainda maiores após esse episódio tão amplamente divulgado; e a exploração de animais pelos seres humanos, independentemente de raça ou espécie.

Todo animal merece ser tratado com respeito e deve receber todos os cuidados necessários a sua sobrevivência, o que inclui não forçá-lo a ser treinado para morder determinadas pessoas, com intuito de defender outras. Nesse caso, o animal, treinado e usado pela polícia, foi ensinado a agir dessa forma quando recebe ordens. O pit bull não mordeu o cinegrafista porque era essa a sua vontade, mas por ter aprendido a agir sob comandos. Sendo assim, se o animal tivesse sido criado e educado de forma correta, sua postura seria outra.

A presença de cães farejadores de drogas ou, como nesse caso, dos que são utilizados na tropa da polícia com o objetivo de proteger os policiais e os patrimônios públicos é um equívoco. Colocá-los para farejar drogas ou em meio a conflitos, como greves e protestos, traz riscos a suas vidas. Os policias escolheram servir ao Estado, enquanto os animais, não podem fazer essa escolha e, sendo assim, não devem ser colocados para trabalhar.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A culpa não é do animal, tampouco de sua raça que, ao contrário do que o senso comum afirma, é dócil e uma excelente companhia inclusive para bebês e crianças. Prova disso é o fato de que durante décadas, nos Estados Unidos, o pit bull era apelidado como “The Nanny Dog”, ou “O cão babá”. Conhecido como o mais confiável para conviver tanto com adultos, quanto com crianças.

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (ABRAJI), em nota, descreveu o momento em que o cão mordeu Luiz Carlos e também todas os outros problemas vividos pelos jornalistas durante a cobertura da manifestação, e afirmou que “mais uma vez protesta contra o emprego de violência desmedida pela Polícia do Paraná e cobra ação dos governantes do Estado para que esse quadro não se perpetue”. O que reafirma a ideia de que a responsabilidade por esse acontecimento é da polícia, que induziu o cão ao ato e não do animal que, infelizmente, terá sua reputação ainda mais manchada por erros cometidos pelos humanos.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. O animal é apenas uma vítima da brutalidade da polícia. O animal é explorado de todo jeito pelo ser humano, tem que acabar com isso.

  2. A insanidade é gritante. Quando se trata de um cachorro apenas latir para o sujeito, ele prontamente saca a arma e mata o animal. Eis mais um grande exemplo de impunidade não só pelo uso indevido da arma, como pelos maus tratos ao animal com a morte deste. É a supremacia do poder das armas, da intolerância e da prepotência pessoal, calcada no corporativismo.

  3. Sou de Curitiba e acredito ser necessário complementar que do jeito que a situação estava, com bombas, sirenes, enfim um palco de guerra, até um srd ficaria com medo e assustado, o que, pelas imagens divulgadas, pode-se ver nos olhos do cão. Para contribuir ainda mais com o pavor do cão, o cinegrafista fez um movimento brusco muito próximo e que pode ter contribuído para a reação do Steve (nome do pitbull), assim como qualquer ser humano reage quando está em situação de estresse e assutado.

  4. Vocês não tem nem noção de como é p treinamento desses animais pela PM. Há veterinários de platão, alimentação de qualidade. E se o animal não se encaixar no serviço ele é doado. Enquanto em países mais desenvolvidos a população respeitam a pessoas que servem seu país, temos o Brasil, analfabeto politicamente onde bandido quando morre vira homem de bem.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>