• Home
  • Gato-mourisco é registrado pela primeira vez em parque no Tocantins

Gato-mourisco é registrado pela primeira vez em parque no Tocantins

0 comments

 (Foto: Divulgação/Instituto Araguaia)
(Foto: Divulgação/Instituto Araguaia)

Um gato-mourisco foi registrado pela primeira vez dentro do Parque Estadual do Cantão (PEC), desde a instalação de câmeras de monitoramento, em 2012. A informação foi divulgada pelo Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) nesta sexta-feira (10). O PEC é uma unidade de conservação localizada entre os municípios de Caseara e Pium, na região centro-oeste do Tocantins. As câmeras foram instaladas há três anos por meio de um termo de cooperação entre o Naturatins e o Instituto Araguaia, para o monitoramento da fauna do parque.

“Instalamos nove armadilhas com as câmeras para monitorar principalmente as ariranhas [lontras gigantes], que estão ameaçadas de extinção e por isso colocamos os equipamentos próximos às margens dos rios. Não esperávamos encontrar essa espécie nos nossos registros e é um animal pouco conhecido aqui no Tocantins, sendo esta a primeira vez em que é fotografado na reserva”, explica a bióloga do Instituto Araguaia, Benaya Leles.

O nome científico do gato-mourisco é puma yagouaroundi, popularmente conhecido como jaguarundi, da família dos felídeos. Segundo o Naturatins, por ser carnívoro, o bicho só se alimenta de outros animais. Ele foi registrado no PEC na primeira quinzena de março, durante a estação da cheia dos rios Araguaia e Coco, em uma espécie de ‘ilha’ no meio do parque. De acordo com o Naturatins, os biólogos do Instituto Araguaia descobriram vestígios de que o animal utiliza o local o ano todo. “Acreditamos que ele precisou nadar para chegar ao lugar onde o registro foi feito, porque era uma faixa de terra rodeada de água”, pontua a bióloga.

A unidade de conservação foi criada há 17 anos e tem uma área demarcada de cerca de 90 mil hectares, que reúne três biomas: cerrado, floresta amazônica e pantanal. Em 2013, o parque foi aberto ao público através do projeto Pró-Cantão, uma parceira entre o Naturatins, o Instituto Araguaia e a Associação Onça d’Água. A iniciativa foi aprovada em 2011 e visa o desenvolvimento de atividades de proteção, preservação e ecoturismo.

Para o Naturatins, a descoberta do gato-mourisco dentro do parque é uma prova de que o local abriga e compartilha uma variedade de grandes predadores da Amazônia. Conforme as informações do Instituto Araguaia, entre as espécies de felídeo que residem no PEC o ano todo estão a onça-pintada, suçuarana, jaguatirica, gato-maracajá (leopardus wiedii), e agora o jaguarundi.

Pró-Cantão

Aprovado e financiado pelo Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio), por meio do Tropical Forest Conservation Act (TFCA) – conta proveniente de um acordo com os Estados Unidos para investimentos na conservação e no uso sustentável das florestas -, o projeto tem recursos de mais de R$ 611 mil, sendo R$ 327 mil do Funbio, até 2014.

O parque é rico em fauna e flora, com 56 espécies de mamíferos, 453 de aves, 301 de peixes e 63 espécies de répteis, segundo registros informados pelo Instituto Araguaia. Com os rios Araguaia e Coco, o Parque Estadual do Cantão está atraindo turistas interessados em ecoturismo, inclusive estrangeiros.

Fonte: G1

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>