• Home
  • Focas resgatadas de rede fantasma voltam à natureza

Focas resgatadas de rede fantasma voltam à natureza

0 comments

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Dois filhotes de foca retornaram à natureza nesta semana, após terem se ferido gravemente em redes fantasmas, descartadas irresponsavelmente no oceano.

O Santuário de Focas de Cornish (CSS, em inglês) devolveram ao mar o pequeno Iron Man, de quatro meses, e Beast, de cinco meses. Os dois passaram por meses de recuperação e foram soltos na costa sul da Inglaterra.

Iron Man foi resgatado na última véspera da Natal, em 2014. “Foi um dos piores casos que vimos nos últimos anos”, revela Dan Jarvis (CSS). O filhote tinha ferimentos graves no pescoço, causados por uma rede de pesca de mais de 9 metros, que estava enrolada em seu corpo.

Como parte da nossa campanha Pesca Fantasma, a World Animal Protection se uniu ao BDMLR (Mergulhadores Britânicos para o Resgate da Vida Marinha), ao CSS (Santuário de Focas de Cornish) e ao CSG (Grupo de Focas de Cornwall) para compartilhar suas dramáticas histórias de resgate. E assim, conscientizar sobre a ameaça das redes fantasmas contra os animais.

Resgate dos filhotes

O BDMLR já resgatou cinco focas enroscadas em equipamentos de pesca desde o último Natal – e isso apenas na região de Cornwall, Inglaterra. Um dos animais infelizmente não sobreviveu aos ferimentos.

Assista o vídeo (em inglês)

O mais jovem deles, Iron Man, estava perto do vilarejo de Pendeen. Alertada pelo BDMLR, a equipe de resgate veterinário socorreu o filhote, que estava emaranhado em uma rede e preso a uma pedra na praia, correndo risco de se afogar na maré alta.

Os veterinários conseguiram soltar o equipamento da rocha e cortar os fios ao redor da cabeça do filhote, que haviam deixado dolorosos e profundos machucados. “Esses casos não são únicos e é uma tragédia testemunhá-los”, lamentou a responsável por monitorar o retorno de Iron Man à natureza e o seu progresso, Sue Sayer (CSG).

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

“Iron Man deve ter ficado curioso ao ver a rede fantasma, que flutuava abandonada no mar, e acabou se enroscado de forma terrível”. Apesar de seus poucos meses de vida, o filhote já estava preso a tempo suficiente para ter ferimentos profundos. “A sua cabeça parecia prestes a ser cortada fora”, lembra Sue.

“Quando eu desenrolei a rede, fiquei chocada de ver que ela tinha 9 metros de comprimento e 1,5 metros de largura. Eu não faço ideia de como este filhote de foca conseguiu arrastar todo esse peso para se mover“.

Milhares de mortes por ano

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

A cada ano, o volume dos materiais de pesca largados nos oceanos chega a 640 mil toneladas. Estes materiais ferem e mutilam centenas de milhares de animais silvestres. Somente entre as focas, leões marinhos e baleias de grande porte, o número de mortes chega a 136 mil por ano.

No caso das focas, os equipamentos de pesca abandonados podem ser particularmente perigosos. As que acabam enroscadas frequentemente não conseguem nadar, se alimentar ou retornar a superfície para respirar. Uma pesquisa do CSG aponta que suas chances de sobrevivência são reduzidas drasticamente devido aos machucados, que as deixam vulneráveis a infecções.

A pesca fantasma ameaça também tartarugas marinhas, pássaros mergulhadores e principalmente peixes: estima-se que para cada tonelada de equipamento abandonado, 125 toneladas de peixes são vitimados.

Uma segunda chance

Felizmente, quatro das cinco focas resgatadas recentemente pelo BDMLR conseguiram sobreviver e ganharam um final feliz.

Após ser libertado da rede fantasma, o pequeno Iron Man foi levado imediatamente ao hospital do Santuário de Focas de Cornish, onde recebeu tratamento veterinário de emergência. Com quatro meses de idade, ele agora está saudável e voltou ao seu habitat natural, junto a Beast e os outros dois filhotes brincalhões.

A história dessas focas alerta para o risco que equipamentos abandonados oferecem à vida marinha. A campanha Pesca Fantasma se dedica a acabar com essa ameaça e a trabalhar junto com os pescadores para buscar alternativas sustentáveis.

Conheça a campanha “Pesca Fantasma” clicando aqui.

25

Fonte: World Animal Protection

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>