• Home
  • Criadouro de macacos para experimentos científicos é construído em segredo

Criadouro de macacos para experimentos científicos é construído em segredo

0 comments

(da Redação)

Macaco explorado em experimento científico (Foto: Reprodução Internet)
Macaco explorado em experimento científico (Foto: Reprodução Internet)

Apenas quatro meses depois de iniciar um processo contra o condado de Hendry, no estado americano da Flórida, por aprovar uma fazenda de criação de macacos para experimentos sem informar aos cidadãos, os habitantes da região descobriram que oficiais do condado já tinham aprovado outra instalação do gênero secretamente. As informações são do site TheirTurn.

Os queixosos no caso contra Hendry estão sendo representados pela Animal Legal Defense Fund (ALDF). Eles afirmam que as autoridades do condado violaram não só a Lei Sunshine, da Flórida, que obriga o condado a realizar audiências públicas para se efetuar escutas sobre questões que afetam a comunidade, mas também as leis de zoneamento local ao aprovar uma operação que envolve macacos selvagens em terrenos destinados à agricultura. Quando este processo foi protocolado, os residentes ainda não sabiam da segunda instalação aprovada.

Alvo do processo da ALDF, a Primera Science Center está sendo construída pela PreLabs, uma empresa do estado americano de Illinois que pretendia importar 3 mil e 200 macacos das ilhas Maurício, na costa leste da África.

Já o centro recém-descoberto está construído e é de propriedade da empresa Bioculture, que tem base nas ilhas Maurício. A empresa aluga uma propriedade da Primate Products, uma companhia que reproduz macacos e manufatura equipamento para uso em laboratórios de primatas. Os residentes, que estão determinados a fechar a empresa, não sabem se a Bioculture já importou animais e o diretor de vendas e marketing da empresa se recusou a responder qualquer pergunta quando o site TheirTurn o contatou por telefone.

A resistência local tem um precedente importante. Em 2012, a Suprema Corte de Porto Rico decidiu que um centro da Bioculture para macacos que já havia sido construído no país não poderia ser aberto por que fora ilegalmente construído em área zoneada para outros usos.

O grupo Animal Rights Foundation of Florida (ARFF), que tem trabalhado há anos para evitar a aprovação dessas instalações, acredita que a Air France, a única empresa de linhas áreas comercial que transporta macacos, será a responsável por trazer os animais das ilhas Maurício para a PreLabs e para a Bioculture.

Os habitantes do condado de Hendry temem que a presença de milhares de animais exóticos coloquem em perigo a comunidade, um temor que não é sem fundamento. Em março deste ano, o Centro de Controle de Doenças (CDC) do país começou uma investigação no Centro Nacional de Pesquisas com Primatas de Tulate, onde macacos morreram depois de serem expostos a bactérias fatais que vieram misteriosamente de uma seção separada e de alta segurança do centro.

De acordo com Allison Young, repórter investigativa da USA Today, lapsos de biossegurança têm sido reportados em todo país norte-americano, incluindo no CDC. “Eles tiveram incidentes envolvendo ebola, anthrax e uma cepa bastante fatal de gripe aviária”.

O processo movido pela ALDF continua. Os residentes do condado ainda não decidiram que linha de ação tomar em relação ao novo centro de ação descoberto.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>