• Home
  • O consumo de foie gras está em baixa na França e na Europa

O consumo de foie gras está em baixa na França e na Europa

0 comments

(da Redação)

Foto: Reprodução Internet
Foto: Reprodução Internet

O foie gras, considerado até hoje uma iguaria culinária, tem perdido rapidamente seu espaço de legitimidade política e amargado várias derrotas. Mesmo na França, sua fortaleza, a tendência é o declínio do consumo do produto.

“Foie gras” significa fígado gordo, em francês. O patê é produzido através da superalimentação forçada de patos e gansos, que desenvolvem fígados enormes e gordurosos.

De acordo com uma pesquisa da OpinionWay encomendada pelo grupo francês de defesa animal L214, 47% dos entrevistados se declarara a favor da proibição da alimentação forçada na produção do foie gras, chegando a 56% entre as mulheres e 51% entre os jovens. A pesquisa foi realizada em dezembro de 2014 e constatou um aumento de 3% na visão negativa da prática em relação à pesquisa anterior, realizada em 2013.

Mais animador são os 29% dos entrevistados que declararam que se recusam a comprar foie gras por motivos éticos ligados aos animais, um aumento de 10% em relação a 2009, mas estável em relação à pesquisa de 2013.

Em 2013, o consumo total de foie gras na França diminuiu 3% e o volume de compra por residência diminuiu 5,6%, constituindo o terceiro ano consecutivo de baixa.

A porta-voz da L214, Brigitte Gothière, afirma que “depois de 3 anos, apesar das fortes campanhas publicitárias, o consumo francês de foie gras caiu. A pesquisa mostra que quase uma pessoa a cada três se recusa a comprar foie gras por questões éticas. Mesmo na França, o número de pessoas favoráveis à proibição da alimentação forçada aumenta; será inevitável com o tempo.”

“Eu acredito que a alimentação forçada de patos e gansos, tal como se pratica para a produção do foie gras, constitui abuso aos animais”, afirmou Dan Jørgensen, ministro da agricultura da Dinamarca.

Em dezembro, vários eurodeputados reagiram à presença do patê no menu de um jantar oferecido aos eleitos do Parlamento Europeu em Bruxelas. Representantes holandeses, dinamarqueses, eslovenos e ingleses escreveram ao presidente da casa, Martin Schultz, para solicitar que o prato não fosse mais oferecido.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Alimentação com pedaços de animais mortos, orelha, pé, coração, fígado, lombo, língua, joelho e tudo o mais roubado deles por humanos sem coração, está com seus dias contados já que é impossível tapar ouvidos e olhos como os sábios macaquinhos do santuário no Japão mas deixando a boca aberta para ingerir estes despojos.Nessa época de despertamento ético planetário “não é mais possível dizer que não sabíamos” mas indispensável ser sábio, provando com atos racionais e justos, que a engorda de fígado de gansos, que também engordava o bolso dos seus exploradores, é uma página quase virada nesse holocausto, só faltando mesmo retardatários e retardados entenderem isso.

  2. que tal prática finde já e pedagogicamente, ou seja, que deixe claro às sociedades do planeta que não-humano algum merece ser submetido a crueldade, humilhação e violência para morrer em pratos.
    Todos nós, seres vivos, somos muito mais que isso.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>