• Home
  • Para veterinário, agressor cobriu cão com piche inspirado em caso na Índia

Para veterinário, agressor cobriu cão com piche inspirado em caso na Índia

0 comments

Cachorro foi encontrado coberto por piche em Trindade, Goiás (Foto: Luísa Gomes/G1)
Cachorro foi encontrado coberto por piche em Trindade, Goiás (Foto: Luísa Gomes/G1)

O médico veterinário Marcones Fernandes acredita que o agressor que cobriu de piche um cachorro filhote em Trindade, na Região Metropolitana de Goiânia, tenha se inspirado em um caso semelhante ocorrido em Udaipur, no norte da Índia. “Alguém deve ter visto a notícia, que saiu em muitos veículos de comunicação, e acabou tendo a ideia de fazer o mesmo aqui. É uma atrocidade”, disse.

O cachorro achado em Goiás foi encontrado por uma mulher dentro de um saco plástico, apenas com o rosto para fora e o corpo todo coberto pela massa asfáltica. Já o animal na Índia caiu no piche derramado por um contêiner e foi encontrado por uma pessoa que passava próximo ao local. Ambos foram resgatados e não correm risco de morte.

Cachorro foi abandonado dentro de sacola (Foto: Celma Dias/Arquivo Pessoal)
Cachorro foi abandonado dentro de sacola
(Foto: Celma Dias/Arquivo Pessoal)

O filhote de Trindade foi resgatado pela secretária Celma Dias, no domingo (5). Ela estava em uma pista de caminhada quando notou o choro do cachorro e, ao abrir a sacola, viu que o animal estava coberto pelo piche.

Após ser resgatado e limpo, em um processo que levou mais de quatro horas, o cachorro foi encaminhado a uma clínica veterinária na Vila Regina, em Goiânia, de onde teve alta na quarta-feira (8).

Limpeza

Marcones explica que a atitude de Celma em limpar o cão com óleo de cozinha foi a melhor na situação. “Ela também poderia ter usado glicerina líquida, que teria o mesmo efeito, mas é mais caro. O importante é ressaltar que nunca poderia utilizar substâncias como solvente, ou gasolina, que as pessoas usam para tirar piche de carro, porque é altamente tóxico para o animal”, alerta.

Segundo o veterinário, a toxidade do piche não afetou tanto o cachorro. “O maior dano são algumas queimaduras, que podem ocasionar infecções. Em relação ao piche, o maior risco era de que ele perdesse os movimentos, mas quando foi encontrado a massa ainda estava mole e não estava quente, de forma que foi possível retirar sem maiores danos”, diz.

Entretanto, nem todo o piche foi retirado, pois a massa endureceu e o veterinário teme que, ao puxar, o procedimento acabe arrancando a pele do animal e cause novas feridas. O que restou deverá sair à medida que o pelo do cachorro caia. O veterinário estima que o filhote sem raça definida tenha cerca de três meses e vá ter porte médio.

Adoção

Após realizados os exames na clínica, foi constatado que o animal estava desidratado e subnutrido, além de ter uma doença transmitida por carrapato. Ele foi medicado e respondeu bem ao tratamento.

Mulher que encontrou filhote irá adotá-lo (Foto: Luísa Gomes/G1)
Mulher que encontrou filhote irá adotá-lo (Foto: Luísa Gomes/G1)

A terapia continuará na casa de Celma, que após todos os todos os cuidados com o cachorro, Celma decidiu adotá-lo. “Quando ele me viu, os olhos dele brilharam. Acho que pensou: ‘Finalmente alguém apareceu’. Todo mundo aqui em casa apaixonou nele, a gente vai ficar com ele”, diz.

Fonte: G1

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Que Deus te abençoe infinitamente, Celma… Você foi o anjo de luz que salvou esse ser tão inocente ! Obrigada !

  2. Parabéns Celma, esse anjinho lhe trará muita felicidade.
    E para o monstro que fez essa crueldade que lhe traga muito azar.

  3. Parabéns, Celma. Espero que o desgraçado que fez isso com este animalzinho sofra atrocidades indescritíveis. Já não me surpreendo com a maldade de algumas pessoas. Não merecem compaixão!

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>