• Home
  • Investigação revela vacas vivendo em meio a seus dejetos em fazenda nos EUA

Investigação revela vacas vivendo em meio a seus dejetos em fazenda nos EUA

5 comments

(da Redação)

Foto: PETA
Foto: PETA

O fato soa como algo saído de um filme de terror: alguém sendo forçado a andar sobre os seus próprios dejetos para fazer uma refeição. Todos os dias, a piscina de fezes e urina fica mais funda e, quando se sai dela, a sujeira endurece sobre sua pele, resultando em ferimentos e úlceras pelo corpo. Mas isso não é o roteiro de uma nova produção de Hollywood – é a realidade para vacas criadas e exploradas em uma fazenda de laticínios na Carolina do Norte. As informações são da ONG PETA (People for the Ethical Treatment of Animals).

Após receber uma denúncia perturbadora, a PETA obteve um vídeo chocante que mostra vacas forçadas a viver em meio a seus próprios resíduos, seja durante a caminhada de ida e volta da sala de ordenha, seja no momento de comer e ao dormir, sem grama, palha ou cama para deitar-se para descansar. As vacas – cujos narizes sensíveis podem sentir odores até a 10 quilômetros de distância – não podem escapar do mau cheiro dos resíduos ou das moscas que voam em torno deles.

O estrume espirra nas tetas das vacas momentos antes de serem ordenhadas. Ele endurece em seus membros, e é impossível limpar flancos e úberes antes da ordenha, o que representa uma séria ameaça à segurança alimentar. Tudo isso, e as graves infecções dolorosas resultantes na pele e nas patas das vacas, ocorre porque o estrume endurece enquanto o leite é retirado.

Estes animais são identificados por etiquetas presas a suas orelhas e se tornam apenas mais um número no interior da fábrica. A seguir, estão apenas algumas das suas histórias:

– Uma vaca, identificada apenas como “2”, estava com um casco direito ferido e sem tratamento. Uma espessa camada de esterco foi endurecida em suas pernas. Ela saiu mancando da sala de ordenha, porque colocar peso sobre o casco coberto lhe causou dor intensa. Seus ossos se projetavam bruscamente, pois estava muito magra.

– A vaca “188” era um pouco mais que um esqueleto. A produção de leite requer das vacas o gasto de uma enorme quantidade de energia. Quando lhes são negados cuidados e nutrição adequada, elas podem emagrecer muito rapidamente.

– Dia após dia, a vaca “6” sangrava pelo nariz, atraindo mais e mais moscas. Ela provavelmente estava com um objeto estranho no nariz ou uma infecção profunda, e os funcionários sequer notaram ou nada fizeram.

Ações da PETA

Segundo informações em seu site, a PETA alertou autoridades locais, e diversos departamentos como o Departamento de Agricultura e Serviços ao Consumidor, o Departamento de Meio Ambiente e Recursos Naturais, sobre as condições dos animais na fazenda.

Um dia após a publicação das imagens, o Departamento de Meio Ambiente e Recursos Naturais anunciou que foram encontradas na fazenda seis violações da lei. A agência confirmou as descobertas da ONG, relatando que “os resíduos dos animais estavam a quase um metro de altura”, onde as vacas eram obrigadas a permanecer, comer, caminhar e tentar descansar. De acordo com novas fontes, foi dado à fazenda o prazo de 10 dias para corrigir as violações e a agência está considerando fechar o local.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta para Ana Gama Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. viva o veganismo!!
    quando todos pararem d consumir lácteos isso acaba…
    pra mim é a maior expressão da compaixão, da piedade e do amor aos nossos irmãos animais não humanos.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>