• Home
  • Prática de arrancar barbatanas de tubarões é proibida na Nova Zelândia

Prática de arrancar barbatanas de tubarões é proibida na Nova Zelândia

1 comments

Por Kelly Marciano e Vinicius Siqueira (da Redação)

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

“Shark Finning” é a prática de remover as barbatanas de um tubarão enquanto eles estão totalmente conscientes e então retornar o tubarão, morto ou morrendo, de volta ao mar. As barbatanas são retiradas para fazer uma iguaria chinesa, sopa de barbatanas de tubarão e os lucros de tal atrocidade são altos – meio quilo de barbatana seca pode ser vendido por cerca de 300 dólares ou mais, relata a Shark Water. As informações são do One Green Planet.

O New Zealand Herald relata esta semana, “O Dr. Smith e o Ministro das Indústrias Primárias, Nathan Guy estiveram na costa para anunciar detalhes do Plano Nacional de Ação pela Conservação e Gerenciamento dos Tubarões. A proibição da remoção de barbatanas de tubarões fez parte desta proposta e foi bem vinda pelos grupos de conservação. É lícito capturar um tubarão, remover as barbatanas e jogar a carcaça no mar. O Dr. Smith disse que era o tipo de ação que seria contemplado na proposta, que está aberta à consulta pública até dezembro”.

O Porta-Voz dos Trabalhadores de Pescados, Damien O’Connor, relatou que “na Nova Zelândia, grupos de conservação estimam que 24 mil toneladas de tubarões são apanhados em nossas águas”. Talvez a solução passe por proibir totalmente todo o tipo de pesca e, desta forma, evitar a matança de peixes de qualquer espécie.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A Nova Zelândia se juntará a mais de 100 outros países (como toda a União Europeia) que baniram esta prática sem sentido e cruel, relata Katrina Subedar, porta-voz da NZSA e advogada da Conservação de Pássaros Marinhos e de Florestas. A proibição poderá diminuir o número de tubarões pescados e salvar milhares de vida, mas ainda não elimina a possibilidade de caçá-los, ainda não acaba com os assassinatos de tubarões completamente. Apesar de ser uma pequena vitória, é necessário entender suas limitações e saber para qual sentido a luta pelos direitos animais deve continuar.

Em outros lugares do mundo

Na Europa, o “Shark Finning” foi proibido em 2012 e foi comparada com a caça aos elefantes e rinoceronte em busca de marfim. Segundo o Business Week, os tubarões são extremamente vulneráveis à caça, pois demoram para chegar à idade adulta e quando se reproduzem, dão a luz à poucos filhotes.

Aproximadamente 73 milhões de tubarões morrem a cada ano, ou pelos ferimentos provocados pela prática, ou por terem se tornado presas fáceis, para satisfazer a demanda de barbatanas utilizadas em sopas. Esta chacina não só ameaça a existência dos tubarões, mas desequilibra toda a vida marinha.

Na China, o consumo de sopa de tubarão tem diminuído gradativamente nos últimos dois anos, o que mostra o crescimento da consciência em relação à defesa animal.

barbatana
Foto: Reprodução

Muitos fatores estão colaborando com a mudança dos hábitos na China. Um deles é a campanha nacional de conscientização sobre a crueldade existente por trás da sopa. O popular astro chinês do basquetebol, Yao Ming, é o representante desta campanha educativa. Ele aparece em um comercial em que clientes bem vestidos e sentados à mesa de restaurantes empurram para longe as tigelas cheias de sopa de barbatanas, depois de ver o sangrento e violento percurso da barbatana desde sua origem em um saudável e majestoso tubarão até sua chegada à mesa de jantar.

Um outro fator está relacionado à ação do governo chinês, que baniu a sopa de suas cerimônias, pois seu consumo por parte das autoridades públicas poderia sugerir corrupção. Organizações com interesses “especiais” serviam a sopa aos funcionários públicos em banquetes dispendiosos para atraí-los, e os próprios servidores do governo compravam a sopa, eles mesmos, provavelmente à custa do dinheiro público. A nova proibição fez com que a sopa de barbatana de tubarão desaparecesse de alguns cardápios “sofisticados”.

O valor das sopas de barbatanas chegava à mais de 700 reais, o que representava “poder” para seus consumidores. Entretanto, pelo alto valor, havia a desconfiança de que as sopas eram compradas, por parte dos servidores do governo, com dinheiro público. Então o governo chinês, a campanha nacional contra o consumo da sopa e, também, o crescimento galopante do ativismo animal. Vale dizer que na China há mais vegetarianos que nos Estados Unidos, por exemplo, com 50 milhões de adeptos ao estilo de vida.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>