• Home
  • A ciência não precisa de experimentação animal

A ciência não precisa de experimentação animal

2 comments

Diante da reportagem veiculada pela Folha de São Paulo, intitulada “Levado de instituto, beagle Ricardinho corre risco, dizem cientistas”, muitos questionamentos podem ser levantados. Podemos afirmar que mais riscos corria o animal ao estar no Instituto Royal. A Insuficiência Renal (IR) pode ser tratada por qualquer outro médico veterinário, não existindo qualquer justificativa para que o animal seja devolvido para as mãos das pessoas que possivelmente foram as responsáveis por ele estar assim hoje. Além disso, que clareza haveria se o animal fosse devolvido? Nenhuma. É bem provável que o referido Instituto acobertasse tudo o que fez com esse animal, ano após ano, e, além disso, continuasse cometendo atrocidades com ele.

De fato, IR pode acarretar descalcificações, mas será que foi isso mesmo? E o que levou esse animal a desenvolver uma IR? Será que não foram os medicamentos excessivamente administrados durante toda a vida? Pergunto-me qual é a razão para um Instituto que tem como raiz a desconsideração a qualquer vida animal querer, agora, salvar o Ricardinho. Não seria, no mínimo, curioso?

Vamos aguardar o laudo expedido pelo médico veterinário que fará a cirurgia nesse animal e, então, confirmar que toda essa situação pela qual passa o Ricardinho faz parte de um show de horrores praticado diariamente por pessoas que não têm o menor respeito pela vida dos animais e para as quais estes não passam de produtos. Infelizmente impera ainda a visão cartesiana, a propagação dos “animais máquinas”, tidos como incapazes de sentir dor e, para esses seres humanos, a quem tudo é permitido, fica o nosso repúdio e a sensação de que vencemos diariamente com os nossos atos em busca de justiça.

Para os que ainda acreditam que a experimentação animal é necessária, aconselho que leiam outras fontes e conheçam os argumentos de quem luta contra esse modelo. Até que ponto é válido sacrificar camundongos, cães, gatos, primatas e outras espécies? E até que ponto resultados podem ser seguramente extrapolados para seres humanos? Será que uma droga testada em um camundongo é segura para mim? E será que o que é seguro para mim é também seguro para outro ser humano? Casos como o da talidomida mostram que estamos sempre experimentando em nós mesmos cada medicamento utilizado e, além disso, existem testes sem o uso de animais que possuem um bom valor preditivo.

O avanço tecnológico está em nossas mãos diariamente nos computadores, simuladores, telefones celulares, mas o que faz a humanidade continuar com esses métodos arcaicos e não investir massivamente em formas de experimentação que não incluam o sacrifício animal? A resposta é que o tradicionalismo e os interesses financeiros acabam propagando a ideia de que não há ciência sem experimentação animal. Não se enganem: a experimentação animal faz parte de uma indústria repleta de interesses e, sobretudo, de dinheiro.

Fica essa reflexão e o desejo de que as pessoas busquem outras fontes de informação, a exemplo de documentários, como o “Não Matarás” (Instituto Nina Rosa), e livros como os publicados pelos também e verdadeiramente cientistas Sonia Felipe (Ética e Experimentação Animal: fundamentos abolicionistas), Sérgio Greif e Thales Tréz (A Verdadeira Face da Experimentação Animal), e Ray Greek (Why Experiments on Animals Harm Humans (Ciência das Espécies: Por que Experimentos com Animais Prejudicam os Humanos); FAQs About the Use of Animals in Science: A Handbook for the Scientifically Perplexed (Perguntas e Respostas Sobre o Uso de Animais na Ciência: Um Manual Para os Cientificamente Perplexos).

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Sinceramente essas experimentações animais são desnecessárias,uma crueldade que nem dá para acreditar que seres ditos humanos tenham coragem de fazer.Como podem torturar uma vida indefesa com coisas horríveis,difícil até de se pensar.É claro que existem outros meios,sempre existiu.Os animais,e seja que animal for…isso não importa…o que importa e a Vida deles no geral.”Pesquisadores”respeitem a vida,tenham misericórdia e amor…usem outro meio.Enfiem a mão no bolso.Sofrimento dos animais?!Já basta!Chega!!!!Essa estória é falsa e não cola…vão trabalhar com dignidade…com certeza vocês serão mais felizes!!!!!!!!!!!!!!

  2. Nenhum Dr. antes do nome vale a vida de uma cobaia sequer e vidas preciosas, ainda que de animais, não deveriam comprar um diploma cujo paradigma é aliviar e proteger a todo custo. A pretexto de salvar vidas humanas não podemos exterminar animais como se eles não fossem vidas também. Não confio em aventais brancos que a pretexto de me salvar carregam mortos sacrificados em experimentações acadêmico-científicas para isso; no entanto, nenhum animal nasceu para ser torturado e morto e quem deliberou o contrário certamente não foi Deus e responsáveis pagarão por este crime, mesmo dourando a pílula.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>