• Home
  • Designer de jóias utiliza animais vivos em sua nova coleção

Designer de jóias utiliza animais vivos em sua nova coleção

0 comments

Por Loren Claire Canales (da Redação)

“A pele está viva” é uma linha de joalheria conceitual que diz analisar a exploração dos animais na moda. “Capturam a beleza da natureza e permitem ao usuário ser único e diferente”, justifica a designer Cecilia Valentine. Na verdade esta é mais uma forma de exploração e maus-tratos aos animais.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Ao longo de várias gerações temos visto inúmeras criações, cores e texturas transformadas em novas tendências dentro do mundo da moda. Atualmente se fala de uma reciclagem de estilos de décadas passadas, mas alguma vez você ouviu algo sobre usar animais em acessórios? Pois agora chega a designer Cecilia Valentine com a sua última criação, intitulada “Fur is Alive”.

Para Cecilia, que se descreve como uma pessoa em busca de soluções simples para os problemas, isto é algo que a desafia e motiva.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A designer explica que “Fur is Alive” é uma linha de joalheria conceitual que analisa a exploração dos animais na moda. As peças, que ela garante não serem destinadas ao uso, incorporam os animais vivos em uma tentativa de aproveitar a verdadeira beleza das formas naturais de maneira a expor a crua realidade da indústria de peles, que continua sendo amplamente aceita apesar de anos de controvérsia.

Cecilia acrescenta ainda que a sua coleção pretende manter os animais vivos e não assassiná-los como é habitual para o consumo de carne ou pelo “bem” do design e da criação de roupas, já que as pessoas tendem a desvincular o fato de que as peles já foram de um ser vivo, o que termina por ser um auto-engano.

Tratando-se de uma comunicação visual sobre a questão da morte na moda, a designer não explicou o impacto causado aos animais aprisionados em suas peças, como é o caso do passarinho, engaiolado em um minúsculo recinto em forma de ovo e de um hamster preso em um pequeno tubo. Todos eles passam por um grande stress ao estarem nestas condições, considerando ainda que são levados a exposições e festas privadas para a apresentação desta coleção. Como ela pode dizer que pretende ajudar os animais?

O uso de animais vivos em acessórios não é novidade e virou moda entre os asiáticos há pelo menos 3 anos. Os animais são aprisionados em pequenas bolsas plásticas e são considerados “amuletos da sorte” pelos seus apreciadores. São peixes, tartarugas e salamandras condenados à morte em poucos dias.

Há o exemplo de um outro caso, em que um cachorro doente ficou preso em um canto de uma galeria, sem acesso a alimentação e cuidados veterinários, e morreu em nome da “arte” de Guillermo Habacuc. A principal intenção do autor também foi tornar o animal o foco da atenção em um local onde esperava-se ver arte, sem se preocupar seu bem-estar e com sua vida.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. ja tem dinheiro pra comprar uma joia de sei la quantos mil e ainda quer explorar a vida de um ser vivo pra curtir uma balada mais bonita. conscientização nada. PALHAÇADA.

  2. A Designer Cecilia Valentine me respondeu e traduzi:
    I’m very sorry if my project has offended you but I think there has been some confusion. A few blogs took my photos out of context and missed the fact that this is an art piece, and I am protesting animal cruelty, NOT supporting it. I am absolutely not advocating that people should actually wear animals, rather I’m protesting the fur industry in a way that uses the animals beauty rather than the shocking pictures you
    normally see. (Tradução – Estou muito triste se meu projecto ofendeu-te mas penso tem tido alguma confusão. Uns quantos blogs tomaram minhas fotos fora de contexto e perdeu o facto que isto é uma peça de arte, e estou a protestar crueldade animal, NÃO o apoiando. Em absoluto estou a defender que as pessoas têm que de facto animais de desgaste, bastante estou a protestar a indústria de pele numa maneira que usos a beleza de animais mais que os quadros impressionantes normalmente vês.)
    Disse a ela que pertenço a uma Legião de Seguidores e não aceitamos essa criatividade onde as pessoas andem com animais pendurados no pescoço e aproveitando enviei o estatuto dos animais Artigo 8º Segundo estatuto Animal em vigor,
    a – A experimentação animal, que implica em sofrimento físico, é incompatível com os direitos do animal, quer seja uma experiência médica, científica, COMERCIAL ou qualquer outra;

    1. Parabéns pela iniciativa, Ivani. Esta designer pode se sentir ofendida e falar que a idéia era ser contra o uso de animais em roupas, mas acabou por ser traída pela própria idéia, por mais que os artigos não sejam feitos para uso, só para exposição, utilizou animais e deu mais idéia para que outras pessoas façam a mesma coisa. Ou esta pessoa é muito ingênua ou uma tapada aproveitadora.

      1. É uma idéia negativa,mesmo que ela tente se justificar em defesa dos animais,não é isso que ela passa para os observadores.O mundo está abarrotado de pessoas que adorariam ser do contra e adotar a idéia. O perigo mora também nas facilitações das idéias negativas ao meio ambiente. Infelíz idéia.

    2. você traduziu ou só jogou no google translate? tá tudo errado

      Traduzindo novamente:
      “Sinto muito se meu projeto te ofendeu mas eu acho que houve alguma confusão. Alguns blogs pegaram minhas fotos fora de contexto e perderam o fato de que isso é uma peça de arte, e estou protestando contra violência animal, e NÃO a apoiando. Eu não estou absolutamente dizendo que as pessoas devem vestir animais, ao invés disso estou protestando contra a indústria de peles de um jeito que usei a beleza dos próprios animais, ao invés de usar fotos chocantes que normalmente você vê.”

      Segundo o site oficial dela, o pássaro das fotos foi feito pelo photoshop. O hamster era real, mas foi usado só para as fotos, essas peças não são para serem comercializadas. O que a artista queria era apenas chocar as pessoas. Afinal, qual a diferença entre usar um animal morto e um vivo? Nenhuma, portanto NENHUMA das formas deve ser usada! Creio que foi isso que ela quis dizer.

  3. será que não pensa nos coitadinhos dos animaizinhos? acha que são objetos! é de dar pena em tanta cretinice, a natureza vai cobrar! pobre dele

  4. Essa é mais uma infelíz idéia, em que os animais pagam com a liberdade e a paz que lhes são negadas. Animal-objeto é ilegal e cruel. A melhor maneira de aproveita e se deliciar com a beleza dos elementos da natureza é ajudar na preservação,fazer a observação direta,com binóculos e capturar essa maravilha,apenas atravéz das fotografias e videos. Por favor,não sejamos retrógados.

  5. isso e um absurdo , sera QUE ELES NAO Pensam como seria ficar presos em uma mini gaiola SEM conforto pra servir de enfeite ? os animais nao tem culpa da idiotice dessaS pessoas .

  6. esta senhora, demonstrando além de total incompetência, inominável crueldade, deveria pensar seriamente numa mudança de profissão, porque como designer de jóias lhe falta a necessária inspiração

  7. A própria designer poderia ficar em uma gaiola dourada em exposição na principal avenida da cidade, tudo em nome da arte medíocre dela.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>