• Home
  • Polícia de São Bernardo (SP) investiga pet shop suspeito de agredir cadela

Polícia de São Bernardo (SP) investiga pet shop suspeito de agredir cadela

0 comments

A Polícia Civil do 6º DP (Baeta Neves) de São Bernardo investiga denúncia feita por uma doméstica de 43 anos, moradora do Jardim Irajá, de que sua cadela, de cerca de 11 meses, sofreu agressões e foi maltratada durante serviço de banho e tosa em pet shop no bairro Santa Terezinha.

Cosmira Brito da Silva levou o animal, da raça lhasa apso, ao estabelecimento e avisou que ele estava arisco, por isso precisava de fucinheira. Ela também se ofereceu para acompanhar a sessão. A funcionária acusada, de 38, dispensou a companhia. Enquanto a doméstica conversava com outros trabalhadores do local, ouviu o animal chorar. “Ela estava dando tapas na minha cachorrinha, machucando, além de ofendê-la com palavrões”, disse Cosmira.

Indignada, ela procurou a delegacia após o veterinário atestar que Duda, como é chamada, apresentava ferimentos compatíveis aos sofridos em agressões.

A polícia abriu inquérito e indiciou a funcionária por maus-tratos a animais. Testemunhas, após a divulgação do caso, disseram que as agressões contra cachorros são rotina no local.

Um homem, que também afirma que seu animal foi vítima da funcionária, é esperado para prestar depoimento e, assim, encaminhar o processo à Justiça. A funcionária investigada negou as acusações.

Fonte: Diário do Grande ABC

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Acho interessante que agora “apareceram” pessoas dizendo que AGRESSÕES SÃO ROTINA no local, e porque não fizeram nada então?? Mas é inacreditáve a capacidade que o ser humano tem de fingir que não ve e não ouve nada quando não é do seu próprio interesse e quando se trata dos animais!!! Imagina quantos peludinhos já sofreram nas mãos dessa ordinária que trabalha no pet shop. Me admiro muito contratarem uma monstra dessas!!!

  2. Vamos ficar de olho nesta Pet e nos seus funcionários. Gente que não tem paciência com animais , precisam lavar calçada ou capinar um jardim.

  3. Como Delegada de Polícia responsável pela apuração do crime objeto da reportagem, faço um pedido para que outras pessoas que tiveram animais maltratados no pet shop investigado, cujo nome não posso divulgar por proibição legal, que compareçam à delegacia de polícia para que a funcionária suspeita possa ser responsabilizada criminalmente e a justiça possa ser feita. As pessoas do bairro sabem, ou deveriam saber a qual pet shop nos referimos. Obrigada pela oportunidade.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>