• Home
  • Bichos da moda sofrem abandono e são esquecidos

Bichos da moda sofrem abandono e são esquecidos

14 comments

Em 1997, bastou a saga 101 Dálmatas ser lançada para que a raça ficasse na moda. Toda criança queria um dálmata. Mas, assim como virou frenesi, entrou em decadência e o resultado disso foi o abandono em massa dos cães.

(Foto:Getty Images)

O rostinho amassado, o tamanho e o fato de ser uma raça silenciosa fizeram do pug uma sensação. Os bichos começaram a ficar conhecidos no Brasil em meados dos anos 2000, e desde então, não saíram de moda. A verdade é que o pug é resultado de uma mistura de raças e ainda não se adaptou ao clima tropical. O focinho achatado dificulta a respiração, principalmente no calor.

(Foto:Gareth Cattermole/Getty Images)

Você sabia que a raça chihuahua compõe um terço dos animais abandonados na Califórnia, nos Estados Unidos? Alguns abrigos chegam até a mandar os cãezinhos que encontram para outros estados. Especialistas acreditam que o excesso de chihuahuas abandonados é resultado da influência da cultura pop, da economia ruim e de tutores que deixam seus cães se reproduzirem em casa sem controle de natalidade.

(Foto: AFP)

Como o nome já diz, o pequinês é originário de Pequim, na China, e dos anos 80 para 90, virou febre nacional. Porém, os especialistas acreditam que a mistura de raças e adaptações que o bicho sofreu, deram a ele um comportamento hostil e a fama de nervosinho. Esta fama é um dos motivos que levaram a raça a entrar em extinção no Brasil. Hoje em dia, você vê muitos pequineses por aí?

(Foto: Christopher Furlong/Getty Images)

Ná década de 90, quem queria ter um cão de guarda, tratava logo de arrumar um doberman. De fato, a raça era ótima para defender a casa, mas o cão esguio, de orelhas pontudas e mordida voraz logo virou sinônimo de agressividade, principalmente quando os ataques às pessoas ganharam lugar na mídia. O caso dos dobermans foi semelhante ao dos pitbulls hoje em dia. A campanha contra a raça foi tanta que ela foi sumindo, sumindo.

(Foto: Getty Images)

Tudo bem, não são cães, mas também entram na lista. As iguanas ganharam o público adolescente em meados dos anos 90. Mas, por ser um animal silvestre, logo o Ibama tomou partido e a venda  se tornou ilegal

(Foto: Getty Images)

Fonte: R7

 

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. É muito fácil reconhecer as raças de cães que passaram de moda no Brasil só olhando os cães de rua. Poodles, pinchers, pastores alemães, pit bulls, rottweilers… Lá nos EUA, a compra de Cães d’agua portugueses aumentou de uma forma quase absurda apenas pelo fato de Obama ter adquirido um cao da raça. Daqui a uns anos, as pessoas vão descobrir que não é aquilo que elas queriam, outros cães vão entrar na moda e seus “filhos queridos” irão para a rua.

  2. Sou de uma geração onde os cães pequineses eram lugar-comum nos lares (principalmente lares com idosos).
    Hoje, voce “achar” 1 Pequinês é tão raro quanto ouvir o uirapuru cantar na Amazônia.

    O cãozinho da vez é o YorkShire, seguido do Poodle, Golden Retriever e dos Labradores.

    Tal situação cruel e inadmissível perpassa pelos (i)responsáveis dos pais que atendem aos caprichos dos rebentos sem exitar, já que, supõe que animais são como chaveiros, PSP, notebook e por aí segue.

    Outro animalzinho que sofreu esse boom e já foi para “escanteio” foram os ferrets.
    É tratar vidas como se fossem nada.

  3. Vocês esqueceram do sao bernado, que todos queriam ter por causa do filme Beethoven, mas as pessoas esqueceram que esses cachorros crescem, são enormes, e cachorros grandes tem mais gastos e muitas pessoas abandonam.

  4. Gente na verdade as pessoas são obtusas e os “criadouros” são criminosos, pq em se tratando de vidas as pessoas que cram animais para vender no minimo deveriam explicar ao consumidor os prós e contras de determinados animias, e para determinadas pessoas só BICHO DE PELUCIA!!!!!!!!, pq não cuidam nem de si!

  5. Banalização total…
    Tenho uma resgatada uma malamute do alasca,jogava fora por ser idosa,dar custos,afinal pelagem tem que ser tratada sempre,enfim…quando a encontrei? jogada num ano novo…aff..hj porém muito amada..por mim

  6. Infelizmente é assim que as pessoas agem: querem, usam, cansam e jogam fora! Se já fazem isso com crianças recém nascidas, imagina com os animais!!!! Eu se pudesse teria muitos gatos e cachorros,amo os animais e brigo com que os maltrata. Pena não poder fazer mais do que faço!

  7. Pessoal, infelizmente esse descaso com os animais está cada vez mais recorrente. Os mals tratos me preocupam muitíssimo, principalmente pelos adolescentes que os pais pouco sabem o que fazem nas ruas. Outros pais até sabem, mas não veem, mas da mesma forma que os filhos não possuem respeito pela vida e mais, se fazem isso com os animais, o que serão capazes de fazer com um ser humano. Por sorte tenho sete cães lindos, seis adotados, dois de abrigo, amo todos igualmente e dou o carinho que posso a todos, cuidados veterinários, alimentação de qualidade, cantinho quente para dormir. Digo que meus virinhas são tudo que há de melhor, não sendo a raça o fator que os torna melhor ou pior. A única de raça foi uma pequenês que trouce de Curitiba, porque na região sul do país tem muitos pequineses, como aqueles da minha infância, lindos. Especial, mas que não irá procriar. A propósito sou a favor da castração de todos os cães, assim podemos frear um pouco essa loucura de animais na rua. A morte natural dos mesmos, porque a progressão é geométrica no crescimento da população cães e gatos de ruas.

  8. E depois do filme Marley e eu? todo mundo queria e ainda hj quer um labrador, pq amou o filme e depois nao aguentam por ser um cão super agitado.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>