• Home
  • Prefeitura de Aracruz (ES) abre sindicância para apurar situação do CCZ do município

Prefeitura de Aracruz (ES) abre sindicância para apurar situação do CCZ do município

5 comments

(Foto: Reprodução / seculodiario)

A denúncia feita pela advogada e coordenadora do Centro de Promoção dos Direitos Humanos de Aracruz, Gilcinea Ferreira, a respeito do abandono de animais no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Aracruz, no norte do ES, foi repassada para o Núcleo de Proteção aos Animais (NPA), da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente e do Patrimônio Cultural, que vai dar prosseguimento às investigações sobre o estado em que se encontram os animais ali abrigados. A informação da denunciante é que, com a volta do veterinário às atividades, mais cinco animais foram eutanasiados, totalizando oito entre sexta-feira (30) e segunda-feira (2).

Um dos animais eutanasiados ainda na sexta-feira havia sido recolhido nas ruas do município no início da última semana e enviado ao Centro de Zoonoses. A cadela tinha um câncer no abdômen e apresentava ferimentos. Quando ela foi recolhida, o veterinário responsável pelo Centro, Edgard Sixto Oliveira Quiñones Dias, já havia saído em recesso, fora do período de férias, e o animal não foi examinado. A eutanásia foi feita, segundo a denunciante, pelo chefe da Vigilância Sanitária do município, que também é veterinário, mas não ficou responsável pelo Centro na falta do titular.

Uma sindicância para apurar os fatos já foi aberta na esfera da municipalidade. Já o delegado do município, Leandro Barbosa Morais, enviou o expediente para a apuração da denúncia ao NPA.

O Centro de Zoonoses de Aracruz ficou sem veterinário por mais de uma semana, já que o veterinário responsável deixou o trabalho no dia 23 de dezembro e só retornou às atividades nesta segunda-feira (2). Neste período morreram cinco filhotes de gatos, um filhote de cachorro e dois cachorros adultos, além dos três animais eutanasiados na sexta-feira. Do dia 1 de dezembro ao dia 22 do mesmo mês morreram cinco filhotes de gatos, dois cães adultos e 18 filhotes de cães, sendo que um dos cães adultos morreu de cinomose.

O local onde o Centro está instalado também é precário, com a estrutura física em abandono e mato por todos os lados. A incidência de ratos no local também é um risco para animais e servidores e os produtos para a desratização adquiridos pela prefeitura do município estão perdendo a validade, já que o executivo municipal não providenciou pessoal para fazer a desratização.

Gilcinea completa dizendo que os animais chegaram a ficar cinco meses sem receber a ração fornecida pelo município, obrigando os cuidadores a pegarem ração emprestada de municípios vizinhos a Aracruz, para que os animais não morressem de fome.

Repercussão

O estado de abandono em que se encontram os animais do Centro de Zoonoses de Aracruz repercutiu entre os protetores de animais de todo o País. A Agência de Notícias dos Direitos dos Animais (Anda) repercutiu a notícia veiculada por Século Diário levando à mobilização de protetores do País, através de manifestações nas redes sociais e cobranças de providências esclarecimentos por parte da prefeitura de Aracruz.

Fonte: SeculoDiario

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Realmente precisa ser feito!
    Comecem a mandar e-mail p/ a prefeitura de Aracruz cobrando providência.
    Não adianta só potar mensagem de indignação e não fazer nada!!

  2. Sempre fui contra o esterminio de animais mas era vencido pelos graduados.

    Fico muito mau quando lembro q nada fiz para evitar tanto…

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>