• Home
  • Onda gigante danifica navio da Sea Shepherd que tenta impedir caça à baleia na Antártida

Onda gigante danifica navio da Sea Shepherd que tenta impedir caça à baleia na Antártida

6 comments

Fotos: Simon Ager

Um dos três navios da organização Sea Shepherd, que tenta impedir os navios japoneses de caçarem baleias no oceano Austral, ficou gravemente danificado ao ser atingido por um grande onda. Uma outra embarcação está a caminho para ajudar os dez tripulantes.

A onda gigante abateu-se sobre o “Brigitte Bardot” e causou um rombo no casco, quando este perseguia o navio-fábrica japonês “Nisshin Maru”, 2,4 mil quilômetros ao sul da Austrália, informou a organização em comunicado. O mar está revolto, com ondas de seis metros, o que está aumentando ainda mais o rombo no casco, conta o comandante do barco, Jonathan Miles Renecle, em comunicado.

O outro navio da Sea Shepherd, “Steve Irwin”, desviou-se da sua rota e já está a caminho para ajudar os dez tripulantes do “Brigitte Bardot” e acompanhar a embarcação até ao porto australiano de Fremantle. Mas ainda deverá demorar 20 horas para lá chegar.

Renecle diz-se confiante em como o barco vai aguentar-se à superfície até à chegada do “Steve Irwin”. A bordo estão três britânicos, três norte-americanos, um australiano, um belga e um sul-africano.

O terceiro barco da organização ecologista, o “Bob Barker” continua na sua rota, tentando perseguir a frota japonesa.

“Esta é uma situação muito decepcionante. Mas estes são mares duros e temos sempre estado preparados para casos como este”, comentou o comandante do “Steve Irwirn”, Paul Watson. “Por agora, a nossa prioridade é a segurança da tripulação do ‘Brigitte Bardot’ e a nossa intenção é fazer o que pudermos para lá chegar o mais depressa possível”.

A pesca comercial à baleia está proibida desde 1986 pela Comissão Baleeira Internacional (IWC, sigla em inglês), à qual Portugal aderiu em 2002. Mas, ao abrigo da excepção para fins científicos, o Japão insiste em todos os anos matar várias centenas de animais de várias espécies. Em 2008/2009, as embarcações japonesas mataram 1003 baleias, ou 52 por cento das 1929 caçadas em todo o mundo. O número para a época de caça de 2009/2010, foi de 900 baleias. E todos os anos a Sea Shepherd tenta impedi-lo. No ano passado, um dos barcos da organização, o “Ady Gil”, naufragou depois de uma colisão nas águas da Antártida.

Fonte: Público

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Lutadores esses homens! Sem eles, já teríamos esquecido das baleias caçadas. Aqui em SC temos as baleias protegidas. A cada ano mais e mais chegam para parir na costa catarinense, onde estão seguras há mais de vinte anos, graças ao trabalho dos defensores delas.

  2. Incrível…. Que falta de sorte das pobres baleias!! O mar danificou justamente o barco dos seus protetores deixando ileso o maldito barco dos caçadores…

  3. Japoneses são tecnologicamente inteligentes e retrógrados ao mesmo tempo, assassinos da vida marinha, eu assisto a série no animal planet e noto o quão hipócritas e violentos eles são, sorte ao Sea Shepherd!

  4. Sempre olho o programa deles “Defensores de Baleias” no animal planet e me orgulho que exite pelo menos algumas pessoas que se preocupam com baleias e tentam ajudá-las é lamentável estragar um navio deles e deixarem o Nisshin Maru a solta para caça :S

  5. Fica aqui a minha solidadriedade a esses corajosos seres humanos que arriscam suas vidas para salvar as baleias, indefesas desses pescadores cruéis.Não sei como a juventude do Japão não encabeça uma campanha contra essa safadeza sem limites dos seus próprios conterrâneos.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>