• Home
  • Mulher diz à polícia que agrediu a cadelinha porque ela havia feito bagunça

Mulher diz à polícia que agrediu a cadelinha porque ela havia feito bagunça

125 comments

A enfermeira filmada espancando um cachorro da raça Yorkshire em Formosa, cidade goiana no Entorno do Distrito Federal, disse nesta terça-feira (20), em depoimento à polícia, que agrediu a cachorrinha porque ela havia bagunçado a casa enquanto ela, o marido e a filha estavam em um restaurante. “Ela disse que perdeu a cabeça”, afirmou o advogado Gilson Saad. O vídeo postado no YouTube, o vídeo das agressões já teve mais de um milhão de acessos.

“Em relação àquilo que acabou ocasionando com o cachorro, ela disse que tem profundo arrependimento. Na infância, ela sempre foi rodeada por animais, tinha contato com animais domésticos. Não há nenhum histórico pretérito que mostre esse tipo de comportamento”, afirmou o advogado.

No depoimento, que durou quase uma hora e meia, a enfermeira negou que maltratasse o animal com frequência, ao contrário do relato de vizinhos, de que as agressões eram constantes.

Reveja o momento em que a enfermeira espanca o cachorro:

O depoimento dela foi mantido em sigilo pela polícia para garantir a segurança da enfermeira. Ainda assim cerca de dez pessoas chegaram a ficar em frente da delegacia de Formosa na hora em que ela prestava esclarecimentos.

“Foram poucas pessoas. Algumas chegaram a proferir algumas palavras, mas não houve ameaça”, disse o advogado.

O advogado não descartou a possibilidade de a enfermeira acionar legalmente a família que hospedou o homem que gravou a agressão ao cachorro, por violação de privacidade. A decisão, no entanto, só deve ser deve ser tomada após conversa com a enfermeira.

“O vídeo mostra cena da casa dela, a própria criança dela aparece. Esse tipo de imagem é preservada, há previsão legal, principalmente de uma criança. Vejo boas possibilidades de levar a coisa adiante, como uma queixa-crime”, afirmou. “Parece que essa família tinha como hobby ficar verificando o que acontecia na casa. Isso vai ser objeto de apuração também.”

O homem que gravou a agressão ao cachorro, Claudemir Rodrigues Maciel, disse que já esperava uma reação da defesa da mulher. “Não fiz nada de errado. Tomei a atitude de filmar e entregar para a polícia. Ele vai acionar tudo o que pode, para abrandar o caso para a cliente dele.”

Maciel afirmou não se arrepender de ter feito o vídeo. “Não digo que tenho orgulho, porque o cachorrinho morreu, mas fico feliz de colaborar para quem sabe ela ter uma punição bastante severa. Ela é uma enfermeira, uma pessoa pública. Imagina ela atendendo um parente nosso”, disse Claudemir Rodrigues Maciel.

Ele disse que quando filmou os maus-tratos ao cachorro, ficou preocupado em a mulher agredir a filha pequena da enfermeira, que presenciou a cena. “Fiquei preocupado, mas depois me disseram que ela é muito apegada à criança, que nunca bateu na menina.”

Depoimento em Mato Grosso

Maciel depôs sobre o caso nesta segunda-feira, por carta precatória, a pedido da delegacia de Formosa. No depoimento, ele afirmou que já havia visto a enfermeira bater em um cachorro da raça Shih-tzu, cerca de um mês e meio antes de ele filmar a agressão ao Yorkshire, quando visitava a família da madrinha da filha, que é vizinha da enfermeira.

Segundo Maciel, vizinhos da mulher disseram a ele que a enfermeira havia trocado o Shih-tzu pelo Yorkshire.

“Ela não espancou como fez com o cachorrinho, mas deu umas palmadas. Ela me viu na sacada e parou. Depois entrou [em casa]. Isso ficou na minha cabeça quando comecei a filmar [o espancamento do cachorro que morreu]”, declarou.

O advogado da enfermeira negou as denúncias. “É uma informação que não procede. Primeiro porque não tenho informação sobre esse cachorro [Shih-tzu]. Como ele pode ter visto esse cachorro anteriormente? […] Não estou dizendo que o rapaz está faltando com a verdade, mas tem algo desencontrado”, disse Saad. As informações são do G1.

Fonte: G1

Nota da Redação: Atenção gente de bem, atenção justiça brasileira. Segundo os advogados dela, a família que denunciou será processada. Para o advogado dela, denunciar crime é um crime. Eles vão processar a família por ter cumprido um dever. Que país é este? Se a justiça acatar esta tentativa de inversão, o Brasil estará definitivamente nas mãos dos criminosos.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. agora,a culpa é do cachorro!!!!ai é demais!!!!esse povo cheio de dedos não teve a coragem de impedir um CRIME….deveriam ter tirado o cachorrinho na marra,inclusive uma policial esteve lá!!!!!pobre Lana,foi martirizada e não podemos deixar que sua morte tenha sido em vão!!!!!

  2. Sera que uma mulher desta tem coraçao e pode ser chamada de ser humano , pois ela nao so ta agredindo um ser sem ter como se defender mas como faz isto na frente da propria filha isto nao e um ser humano e um mostro !!!!!! que tal por ela para cuidar de cachorros abandonados como pena para ela ver o e sentir na pele !!!!!!!!

  3. Camila (enfermeira) todo cachorro bagunça. Os cachorros que eu tive fizeram muita bagunça e nem por isso eu matei eles. O que você fez foi um ato de covardia. É muito pouco você ser presa ou pagar uma multa.
    O Brasil é o País da vergonha e da impunidade.

  4. E fácil resolver isso, divulga o nome do advogado dela para que a população não pegar mais esses advogado como defessa , ai ele não terá mais clientes para defender . Toma vergonha na cara. e como o marido dela e medico a população não deveria ir a clinica dele. e a unica coisa que podemos fazer para pu nilos, já que a justiça não quer ajudar.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>