• Home
  • Consumo ecológico 'de segunda mão'

Consumo ecológico 'de segunda mão'

10 comments

Nesta época em que tudo está propício ao consumo exagerado e desesperado, são muitas as opções de compra, e o desejo de consumir fica à flor da pele. Por isso vou falar de alguns modos de consumo e no que podemos ajudar os animais nesse sentido. Não é exagero dizer que todos nós temos impulsos consumistas, mesmo aqueles que dizem que não o possuem. É o caso do povo ‘ecológico’, por exemplo, que entope os armários de artigos de camping, pesca (que não deixa de ser um tipo de caça), apetrechos bobos para caminhadas e afins, numa crescente vontade de parecer moderno e eco-consciente, mas que no fundo, no fundo, não passa de uma maneira diferente de ser consumista e se orgulhar disso.

Para ajudar os animais, não é necessário ter equipamento algum, nem ter acessórios legais, nem pertencer a um grupo tri-eco-chic-pós-moderno. Basta ter atitude, saber dizer ‘não’ e saber dizer sim no momento certo. Pode-se participar de grupos que batalham de verdade por essa causa, mas não só. Pode também fazer muitas coisas sozinho. E a cada dia fica bem claro que o fato de ser vegano já é, em si, um ato de ativismo bastante forte. E que nem todos que militam na causa animal têm no seu prato motivos para se orgulhar.

Mas hoje irei falar de algo que me apaixona tanto quanto a causa animal: os movimentos en favor do uso de roupas de brechó. Esse tipo de roupa foi motivo de preconceito nos países de Terceiro Mundo, mas algo muito comum nos países de Primeiro Mundo. Usar roupas de segunda mão é uma maneira de economizar, garimpar peças legais e diferentes, montar um estilo, reaproveitar materiais, reciclar e hoje já simboliza um modo de ser.

Tudo muito relacionado com a sustentabilidade, palavra já gasta, mas ainda importante.

O melhor de tudo isso é que é possível aliar o consumo responsável à ajuda aos animais, pois muitos grupos de protetoras de animais possuem brechó beneficente. O brechó beneficente consiste em vender roupas a preços simbólicos, a fim de ajudar uma causa qualquer, que pode ser um grupo de gestantes, crianças carentes, animais abandonados, idosos em asilos e outros mil motivos, todos válidos.
Aqui em Porto Alegre existem alguns grupos de protetores de animais que realizam brechós periodicamente, a fim de arrecadar fundos para abrigos, adoção, manutenção, etc. E é muito interessante visitar estes lugares, ajudar e ainda sair com coisas em ótimo estado a preços módicos.

foto do site http://www.bichoseamigos.org.br/

Preparei algumas dicas tranquilas para os que querem se aventurar nos brechós em favor dos animais da região:
1- O brechó é beneficente, tenha isso em mente: Antes de sair pechinchando, pedindo desconto e querendo pagar em muitas vezes no cartão de crédito, ou mesmo fazer ‘fiado’, lembre que brechós beneficentes, como o próprio nome o diz, são para ajudar alguém. Então, resumidamente, precisam de dinheiro. Então, nada de pechincha, choramingo, nem furtar objetos, como eu mesma já presenciei espertinhos. (curiosamente essas pessoas vão lá roubar em brechós pois sabem que são beneficentes e que ali tem pessoas voluntárias que doam seu domingo ou dia útil para trabalhar, mas não vão se aventurar a pagar vechame em grandes lojas, ou mesmo correr o risco de ir preso.)
Para alguns obsecados de plantão, isso pode parecer ‘clichê’ e é, porém o clichê precisa ser dito para os sem noção da vida. Já vi gente fazendo escandalo por peças que custavam R$2,00 então não estou exagerando, podem acreditar.
2- Saber escolher as roupas e outros artigos é óbvio, então vá com calma, não precisa empurrar ninguém. Pense que as outras pessoas estão ali para ajudar, assim como você, e que não é o fim do mundo se alguém quiser ficar com a mesma roupa que você escolheu. Tenha delicadeza e pense sempre na educação e nas pessoas que estão ali organizando o evento para ajudar os animais e outras causas bonitas. Já ‘perdi’ uma maleta vintage vermelha linda para uma senhora que comprou praticamente todo o brechó. Quem ganha são os animais.
3- Ao chegar em casa com todos aqueles achados de moda, vá direto para a sua lavanderia (tanque ou máquina de lavar) e lave com muito carinho e cuidado todas as coisas, com sabão de coco, vinagre, bicarbonato, enfim. Limpe bem tudo. Se puder lavar à mão e em sua casa mesmo, melhor. Não precisa ter nojo, só higiene já é suficiente. Se você experimentou alguma roupa, tome um banho ao chegar em casa. Aquele papo de que brechós chiques lavam e passam as roupas é um tanto duvidoso, devido aos altíssimos custos que todo esse dispêndio causaria. Então, mesmo que a peça tenha etiqueta (e compro muita roupa com etiqueta original e até preço original), ela pode ter ficado muito tempo guardada em depósitos, passado por muitos lugares diferentes e pegado muito pó.
4-Escolha roupas de grifes famosas, pela durabilidade, porém não se apegue a marcas. Há muitas coisas interessantes e desconhecidas neste mundo de roupas e objetos de segunda mão. Pesquise sobre o assunto, se quiser estar mais por dentro da moda, porém hoje cada um faz a sua moda e não mais há a necessidade de se seguir tendências.
5- Brechós não são lugares somente para comprar roupas. Há uma infinidade de opções para ambos os sexos, como livros, discos, roupas, móveis, etc. Já comprei livros maravilhosos em brechós, a centavos. CDs importados, de bandas diferentes e raridades também podem ser encontradas a preços incríveis.
6-Ajude de uma forma diferente: faça propaganda dos brechós beneficentes para todos. Tenho uma amiga em outra cidade que possui brechó, mas que vem regularmente aqui comprar nos brechós beneficentes. E sai sempre com muitas sacolas, muito satisfeita. Não é maravilhoso poder fazer uma ponte entre pessoas e ajudar muito com isso? Nas cidades em que viajo e descubro brechós, já vou sugerindo novos locais onde podem comprar roupas baratas para revender.

Para o final do ano, em que a vontade de mudar é grande e o apelo consumista aumenta, nada melhor que aproveitar essas feiras de artigos de segunda mão para presentear, usar e começar algo diferente como sentir o prazer em reaproveitar roupas em ótimo estado, que possuem uma história e que vão continuar sendo úteis e cumprindo sua função. O melhor de tudo é poder ajudar pessoas que ajudam os animais. E ajudar é sempre o benefício maior.

Dicas de brechós em Porto Alegre:

http://www.bichoseamigos.org.br/

muitas das minhas roupas maravilhosas e de marcas ótimas comprei neste brechó, que ocorre sempre no primeiro domingo de cada mês.

 

http://www.duasmaosquatropatas.com.br/index.html

este brechó tem roupas lindas, em ótimo estado, discos raros que custam centavos, livros e muito mais.

http://gatoseamigos.org/

aqui também comprei muitas coisas legais. Os organizadores são muito gentis e queridos.

http://www.101viralatas.com.br/

http://www.reinogato.com/
a moça desse reino faz trabalhos lindos em tecido, coisas novinhas e diferentes. Também tem um pequeno brechó, onde já comprei muitas bijouterias e coisas diferentes.

http://www.projetoproanimal.com.br/links.php

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Muito boa a dica, esse fim de semana mesmo comprei artigos lindos num brechó e gastei só 35 reais, pena que não era beneficente, por falar nisso, alguma dica de brechó com venda revertida para ajudar animais em Sampa?

  2. ontem fiquei pesquisando sobre brechós na Internet e não achei quase nada beneficente por estes Estados, acho que podem ser pouco divulgados. Mas ficarei pesquisando e assim que souber algo aviso por aqui ou no meu blog.
    Abraços a todos e obrigada pelos comentários.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>