• Home
  • Promotoria pede retirada de cães que vivem em campus de universidade em Londrina (PR)

Promotoria pede retirada de cães que vivem em campus de universidade em Londrina (PR)

16 comments

(Foto: Reprodução/Paraná TV)

A promotoria do Meio Ambiente notificou a Universidade Estadual de Londrina (PR) para impedir que cachorros fiquem soltos pelo campus. Apesar de placas espalhadas, as pessoas não se intimidam em abandonar animais, ato que é considerado crime. O descaso atinge, principalmente, animais doentes.

De acordo com a promotoria, a notificação visa diminuir os ‘riscos à saúde pública’. Porém, o pedido de retirada dos cachorros revolta protetores e defensores dos animais.

Apesar de muitas pessoas defenderem as tais medidas para evitar que mais animais apareçam no campus, a maioria dos estudantes é solidária à permanência dos cães, alegando que eles não atrapalham em nada e que, pelo contrário, já estão acostumados com os animais.

Segundo a UEL, são mais de 100 cachorros que vivem na região, e têm sido monitorados inclusive por funcionários. O bom aspecto dos cães deixa evidente os cuidados de uma funcionária da universidade, que se encarrega da alimentação dos animais, banho, além de levar ao veterinário, quando necessário.

Um canil que está sendo construído pela prefeitura pode ser o destino de alguns desses cães, que já estão habituados com o campus.

A reitoria da UEL informou que tem vacinado os cachorros, mas que, por enquanto, não há nenhuma outra medida a ser tomada.

Veja o vídeo da reportagem:



Com informações da Globo.com.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Acho que poderiam instalar câmeras de vigilânica para tentar localizar quem abandona os cães, e impedir que novos cães sejam deixados lá, mas não expulsar os que já estão lá, estão sendo bem cuidados e não causaram “problemas de saúde pública”. Proibir tb não resolve os casos de abandono, resolve o caso do Campus apenas, pois quem quiser abandonar um cão, só vai passar a fazê-lo em outro lugar…

  2. Desculpe mas não conheço o projeto de canil da prefeitura.
    Acredito que castração e adoção responsável resolvem os problemas de abandono. Agora quanto a falta de fiscalização aos que deveriam fiscalizar e promover a legitimidade a lei contra maus tratos e abandono, sei que essa parte não funciona e gostaria de saber, pq? Afinal, pago impostos e ainda cuido de animais abandonados nas ruas. Se houvesse respeito, as leis já vigentes p/ isso não seria necessário um canil… Façam cadastros dos donos e animais, acompanhem os cadastrados p/ prevenção de maus-tratos e abandono. Promovam vacinação e castração e não uma mini-prisão aos que já são vítimas do descaso social e público. Um abrigo é bem vindo, mas não nos moldes antigos em que matar os cães e gatos era prática rotineira p/ a solução do abandono e da superpopulação.

  3. Se não incomoda os estudantes e a reitoria está cuidando, não tem necessidade da promotoria querer resolver uma coisa que não está gerando problema.

    Será que andam desocupados?

  4. Eu, como estudante de Biologia da UEL sou totalmente contra a retirada dos animais e totalemente a favor de um maior monitoramento da área, para impedir que mais ainmais sejam abandonados e as pessoas saiam impunes, agora nas férias o número de abandonos cresce demais, e os novos habitantes demoram um pouco pra se habituarem ao novo lar. Abandono é sempre um crime, mas como não há medidas do governo positivas para os animais, ainda prefiro que eles sejam abandonados lá na universidade pois serão bem cuidados. Penso assim pois se alguém quer abandonar um animal é pq não tem a menor intenção de se preocupar com o bem estar dele, então que seja em algum lugar que dê uma nova chance, e não na rua onde esses bichos sofrem todo tipo de atentado contra a vida =/

  5. SE a prefeitura fosse fazer um projeto de canil decente, neh… onde os animais fossem tratados com respeito… castrados, vacinados, vermifugados e encaminhados para adoção, até que seria uma boa, mas como sabemos que nem tudo no mundo são flores, não é mesmo? Infelizmente.

    Acho que ao invés disso, realmente deveria aumentar a fiscalização. Colocar mais câmera e seguranças para inibir o abandono e além disso, cuidar dos que já estão lá, castrar e cuidar adequadamente de todos e fazer campanhas de incentivo a adoção entre os alunos e funcionários mesmo.

  6. Desde quando entrei na UEL, NUNCA ouvi falar de alguma pessoa que ficou doente graças a algum animal do campus…. E olha que este tipo de notícia, para quem estuda lá, iria se dissipar facilmente. Concordo com quem disse que deveria haver melhor monitoramento, mas é preciso também preparar os guardas da universidade para os diversos assuntos de segurança e deste problema em questão, assim como a criação de um centro de controle de zoonoses pela prefeitura, já que Londrina cresceu em termos populacionais. Enquanto isso não acontecer, honestamente? Prefiro que os animais sejam abandonados no campus! Pq se as pessoas que cometem este crime não o fizerem na UEL, garanto a vcs que elas farão na rodovia. O que que é melhor?

  7. Quantas mentiras numa só reportagem!
    Sou aluna da Veterinária e fico indignada com o egoísmo e hipocrisia humanos… Os cães do campus NÃO representam problema nenhum à saúde pública. São todos vacinados e castrados, certamente ao contrário dos cães de muitos dos entrevistados, que falam sem fundamento algum sobre um assunto que desconhecem. A reitoria NÃO tem participação nas vacinações, como a reportagem intentou propagandear. Quem faz isso somos nós, os protetores destes animais, com arrecadações vindas de pessoas realmente preocupadas com eles. Muitos protetores do corpo de funcionários da UEL também custeiam os tratamentos necessários sozinhos, é bom que se diga. Aquém disso, vale lembrar que houve vários casos de ENVENENAMENTO dos nossos animais dentro do campus, por pessoas que aqui trabalham e certamente viram esta reportagem…
    Não me venham com essa hipocrisia medíocre…
    Cuidem de suas vidas, que dos animais, cuidamos nós.
    O maior risco à saúde “pública”, quem oferece são essas pessoas de caráter podre espalhadas pela sociedade…

  8. Que solução digna né? tratam os animais com criminosos, enquanto tantos seres humanos saem impunes de crimes hediondos, os cães que nada fizeram, serão presos aguardando que fim? Sou aluna da Universidade Estadual de Londrina, e vejo que eles não estão abandonados na universidade, pelo contrário, talvez encontraram uma vida melhor, com liberdade e com pessoas que os respeitam. Ao invés de condenar os animais que já se encontram no campus e que ainda bem sofrem cuidados dos funcionarios, pq não punem os sem coração que abandonam essas vidas em um lugar qualquer? é fácil esconder de baixo do tapete os podres, agora o mais difícil que é condenar um ser humano, tomando medidas prudentes e cabiveis, como a instalação de câmeras na universidade, essa trabalho ninguém quer, mas eu sei que nós que somos contra a essa medida faremos de tudo para que esses animais não sejam mais milhares mau tratados e ai sim abandonados em um centro de zoonoses ou um canil qualquer.

  9. Risco a saúde pública é o lixo que jogam na rua que atrai bichos que transmitem doenças.. além de acumular água para os mosquitos da dengue…!

    Com tantas outras coisas p/ se preocupar, ficam pensando nisso..! Deixem os cachorros em paz!

  10. Isso é um absurdo e uma falta de respeito para com os pobres cães! Esses animais estão tendo uma chance de serem felizes, encontraram um local onde, depois do abandono, foram bem tratados e receberam não só dos funcionários da UEL, mas de muitos dos estudantes da universidade, carinho e cuidados. Concordo com os amigos anteriores: já que o número de cães é grande e estão exigindo a retirada dos que já se encontram na instituição, deveria-se, então, intensificar o monitoramento para que este número não aumente e deixar os cães que habitam o campus lá mesmo, pois, entre outras coisas, estes animais já devem ter se acostumado com a liberdade e um canil, com toda a certeza, seria frustrante.

  11. Risco a saúde pública?! O maior risco a saúde que Londrina sofre são seus hospitais e postos de saúde sem o mínimo de condições de atender a população!!! ….VÃO SE OCUPAR COM O QUE REALMENTE IMPORTA!!! A culpa de estarem lá não são dos cães, é da própria prefeitura que não toma nenhuma providência na concientização e punição das pessoas que simplismente praticam o abandono de animais indefesos! PAREM E PENSEEM UM POUCO ANTES DE FAZER ABSURDOS!

  12. Não concordo quando dizem que os cães são maltratados. Estudo na UEL e é visível o quanto os estudantes se encantam, brincam e acariciam os animais. Se, por parte nos professores e demais funcionários não há essa troca de carinhos, por parte dos acadêmicos ela é comum. Antes os animais serem abandonados no campus – onde são cuidados – do que em outros lugares.

  13. Isso é mais que um absurdo, que coisa mais ridícula!! Isso é reportagem de quem não tem nada pra fazer e precisava postar alguma coisa!! cachorros da uel sempre estão saudáveis, quanda não são levados para o hospital veterinário da própria universidade!! reportagem mais que desnecessária!! São bem cuidados, amados e companheiros!!!

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>