• Home
  • Autoridades portuguesas recusam-se a participar da matança de animais que vivem no lixão

Autoridades portuguesas recusam-se a participar da matança de animais que vivem no lixão

16 comments

Foto: Steven Governo/Global Imagens

O comando distrital de Bragança da GNR, em Portugal, recusou-se a participar da captura de cães na zona do Cachão por entender que a proposta feita pela Câmara Municipal de Mirandela aos militares constituía “crime”.

A operação com início previsto para segunda-feira foi entretanto cancelada, com a autarquia a alegar falta de “solidariedade institucional” por ser a única disponível para a captura determinada pela Direção Geral de Veterinária (DGV).

Em declarações à Lusa, o comandante distrital da GNR, Sá Pires, garantiu que “os militares da Guarda estão sempre disponíveis para serem parceiros na resolução de problemas às populações, mas não podiam aceitar a proposta de todo bizarra que foi feita”.

Segundo contou, o destacamento de Mirandela da GNR, foi contatado “pelo departamento do ambiente da Câmara de Mirandela que propôs que os militares fossem lá e matassem os cães com as suas armas”.

“É evidente que achamos que isto é crime e que não estamos disponíveis”, declarou, acrescentando que a GNR propôs a “única alternativa legal para esta operação, mas até ao momento ainda não obteve resposta da autarquia”.

O comandante Sá Pires disse que a GNR recomendou que a captura fosse feita de acordo com as regras, que é “capturar os cães com redes e, em caso de dificuldade acrescida, disparar dardos com sedativos para imobilizar o animal”.

Nestes casos, acrescentou, os cães seriam recolhidos pelo canil, onde teriam de ficar em quarentena, para adoção, se reunissem condições.

O vice-presidente e vereador do ambiente na autarquia de Mirandela, António Branco, confirmou hoje à Lusa que a operação marcada para segunda-feira foi cancelada e que a GNR não se disponibilizou para participar.

António Branco demarcou-se da alegada proposta feita à GNR, alegando que “foi uma opinião pessoal de alguém”, e frisou que a Câmara de Mirandela não tem qualquer responsabilidade nesta operação.

Segundo disse, o município foi a única entidade que se disponibilizou para congregar parcerias para resolver este problema, entre as que foram solicitadas pela DGV que determinou, em novembro, a “captura e/ou eliminação” dos cães, divulgada na zona através de editais, em que é pedida a colaboração de todas as entidades, nomeadamente Câmara de Mirandela, Proteção Civil, GNR, ICNB, PSP e corporações de bombeiros”.

Verificou-se que “a única entidade ou autoridade disponível para participar (na operação) era exclusivamente” a Câmara Municipal de Mirandela, segundo António Branco, que concluiu não existirem “condições de segurança para os funcionários envolvidos, nem de solidariedade institucional para o prosseguimento de qualquer ação”.

Assim, a autarquia “não promoverá qualquer tipo de iniciativa, aguardando quaisquer outros desenvolvimentos que as diversas entidades e autoridades possam vir a promover”.

A operação foi determinada pela DGV depois de dois anos de ofícios da Câmara de Mirandela para se encontrar uma solução para o problema da matilha de 200 cães selvagens em volta do aterro sanitário da Terra Quente, na zona do Cachão.

Os animais já atacaram agricultores, pastores e os homens do lixo, pelo que as autoridades locais entendem que está em causa um problema de “saúde e segurança públicas”.

A operação, segundo disse o vereador António Branco, contemplava o massacre a tiro dos cães, nas situações em que se justificasse.

Esta possibilidade gerou a contestação de defensores dos animais, concretamente a Associação Zoófila Portuguesa, que classificou esta captura de “matança” e acusou as autoridades locais de negligência.

Com informações de Os Bichos

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Absurdo, muitos humanos e aglomerados de humanos representam riscos enormes para a sociedade e para o meio-ambiente como um todo e nem por isso há orgaos que sugerem um massacre destes individuos. Com certeza é possivel encontrar soluçoes mais dignas e de efeito a longo prazo como multiroes de castracao, encaminhamento para adocoes ou criacao de um santuario para estes seres Dotados de Senciencia e de Direito.

  2. O comandante Sá Pires disse que a GNR recomendou que a captura fosse feita de acordo com as regras, que é “capturar os cães com redes e, em caso de dificuldade acrescida, disparar dardos com sedativos para imobilizar o animal”….. CERTINHO… ALGUEM JA PROCUROU SABER SE ELES ATACARAM FOI P/ SE DEFENDEREM, ??? JA PROCUROU SABER SE ELES PASSAM FOME??? NAOoOO… ELES QUEREM ‘E MATAR

  3. É impressão minha ou estão querendo declarar “guerra” contra os animais na europa ? Estão em crise e vão descontar nos bichinhos é ?
    Que VERGONHA !!!!

  4. Parabéns ao comandante Sá Pires, que não colocou sua corporação para fazer o extermínio dos animais. Esses cães tornaram-se “selvagens” pois foram abandonados pelos humanos que um dia os tinham em seus domicílios. Agora, é preciso que todos aceitem esses animais vivendo segundo a única forma de expressão que seu espírito encontrou para sobreviverem, desde que os humanos os “largaram no lixo”, descartando-os de suas casas e desprezando sua companhia.
    Que deixem esses animais em paz, a viverem agora do modo que vivem. A natureza deles é viver em matilhas, definidas por eles, disciplinada por eles. Chega de os humanos definirem para os cães a “forma humana de vida”, que em nada se parece à deles!

  5. Grandes HOMENS tiveram coragem de dizer que não.Em vez de os matar ajudem a resolver essa situação capturando os animais e ajuda-los,castrando as femeas e os machos,mas é mas fácil matar do que ajudar.Há seres humanos que nem sequer o ar que respiram merecem quando mais viver.

  6. Parabéns às Autoridades Portuguesas, pois respeitaram os animais!
    Infelizmente para o Sr. Vereador, esse sim merecia castigo por tal ordens dar!

  7. Li aqui muitas mensagens de solidariedade para com os cães. Mas não vi nenhuma a oferecer-se para adopção… Não vi ninguém oferecer-se para uma campanha de sensibilização das populações para o não abandono de animais e que depois dão nestas situações de cães selvagens… Não vi mninguém a dar nada! Só reclamam e não apresentam soluções! Parece-me que temos mais uma manifestação de ambientalistas de sofá… É tão bom só criticar…

  8. Mas que grande merda de autoridades a darem o exemplo de uma sociedade que de civismo não tem nada!Preocupem-se com traficantes, ladrões, assassinos, os animais não fazem mal, são seres indefesos!

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>