• Home
  • Direitos animais e argumentos religiosos

Direitos animais e argumentos religiosos

14 comments

Frequentemente, quando questionadas a respeito dos direitos animais, as pessoas utilizam argumentos religiosos. Quando contra, normalmente citarão a má tradução da Bíblia onde diz que Deus criou o homem para dominar sobre outras criaturas. Quando a favor podem usar argumentos diversos de acordo com a religião.

O fato é: independente da religião, tanto cristãos como ateus podem e devem conceder direitos aos animais. E para defender direitos animais nada melhor do que argumentos diretos e objetivos que visam diretamente o benefício dos animais. Argumentos transversais, como já citou Bruno Muller em artigo para ANDA, podem ser muito prejudiciais a causa. Entretanto, é importante conhecê-los e saber argumentar a respeito.

Se a pessoa for cristã, há diversos argumentos possíveis, sem sair da religião, para defender os direitos animais. Como fundamento teórico, é preciso conhecer a diversidade de interpretações a respeito da Bíblia. Para isso, o texto de Sérgio Greif “A Bíblia preconiza o vegetarianismo” é de grande importância.

Greif mostra que há erros de tradução. O original em Hebraico mostra que a famosa passagem do Gênesis 1:26 que cita que os homens tem domínio sobre outras criaturas sofre de erro de tradução. A polêmica palavra que foi traduzida como domínio no original está escrita da forma yrdu, e tem uma tradução mais adequada como descerão.

Segundo Greif:

“…foi empregada a palavra ” yirdu”, que permite uma outra tradução do versículo: “Disse Deus: façamos o homem à nossa imagem e semelhança; e descerão para os peixes do mar, e para as aves dos céus, para os rebanhos e para toda a terra e para todo réptil que rasteja sobre a terra”. Se seguirmos essa tradução, que é mais fiel ao original, podemos interpretar que a intenção da Bíblia pode ter sido mostrar que Deus criou o homem de uma maneira especial, mas que o homem desceria (ou seja, seria igualado) para a condição de um animal.”

Nesse mesmo texto, o autor mostra outros possíveis erros de tradução.
Entretanto, independentemente de tradução, há um excelente teólogo, Andrew Linzey, que defende os direitos dos animais seguindo como espelho a vida de Jesus.

Andrew Linzey escreveu em 1998 Animal Gospel (Evangelho Animal), livro que traça uma profunda conexão entre a pessoa e pregação de Jesus com a luta pela defesa dos animais. Encontramos uma tradução resumida no site da pensata. Ele desenvolve 5 artigos de fé nos quais defende o porquê escolhe estar junto a Jesus na defesa dos animais.

Ainda se pensarmos na questão do exercer domínio sobre outras criaturas, o principal argumento desse filósofo é de que jamais Deus iria pedir que o homem exercesse um domínio abusivo e arbitrário baseado em poder. Ele diz que é só olharmos a vida de Jesus para termos um exemplo disso. Se a forma de exercer poder de Jesus é a humildade, o que nós devemos fazer é nada mais do que nos espelharmos nessa forma. Humildade no sentido de servidão, de cuidado com os demais, de não poder. Olhar para o exemplo de Jesus é muito diferente da forma com que costumeiramente utilizamos a palavra domínio. Portanto, é muito fácil refutar esse argumento contrário aos direitos animais.

Andrew Linzey é tão radical em seus argumentos que ele chega até a criticar o argumento de Peter Singer quando este diz que homens e animais deveriam ter o mesmo valor moral. Linzey argumenta com base na ética Cristã, a ética da compaixão, os mais fracos (no caso os animais) merecem mais compaixão, mais cuidado do que nós, portanto, devemos ter uma maior preocupação moral com eles.

O fato é que os direitos animais podem ser defendidos e recusados de acordo com as diversas religiões. Portanto, é necessário muita reflexão sobre os argumentos apontados. Em que mesmo estamos baseando nossa crença? No Bem, no Amor, na Paz e Compaixão? Se sim, não seguiremos doutrinas que preconizam sacrifícios nem abusos de poder sobre criaturas indefesas.

About the Author

Follow me


Deixe uma resposta para Estela Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Olá! Gostei muito do artigo! Mas eu acho que o ‘dominar’ que Deus falou na Bíblia, quer dizer CUIDAR. Eu tenho domínio sobre meu cachorro, por que eu comando ele, eu cuido dele… Dominar não é agredir para impor respeito, não é desrespeitar…É sim é ser o líder, o companheiro do animalzinho! O que acha?

  2. Se Deus criou os animais com possibilidade de sentirem dor, amor, respeito, carinho, companheirismo então deve ser a última opção comê-los.

  3. É muito triste quando alguém utiliza argumento religioso para agredir qualquer outro ser. Todas as religiões, em sua essência, pregam o amor e a compaixão. Quem deturpa isso são as pessoas.

  4. Penso que se deve seguir o coração no tocante ao convívio com os animais, independente do que diz a Bíblia ou qualquer outro escrito, sagrado ou não. Deus nos deixou o livre arbítrio para escolher o bem ou o mal e isso só depende de nós e da nossa consciência. Ninguém precisa da opinião dos outros para saber se quer amar ou maltratar os animais. É decisão própria e soberana de cada um.

  5. Os animais têm um propósito amplo: ‘nasceram’ para educar os ignorantes e acompanhar os sábios. Logicamente em todo o sentido mais amplo das questões. Mas nós temos que fazer a nossa parte para educar os ignorantes também…

  6. Excelente interpretação bíblica de Linzey, quando se refere as atitudes de Jesus com os animais, seres indefesos e inocentes! À sua compaixão, amor e ética, que deveriam ser exemplo para toda a Humanidade!

  7. Re
    Disse td:
    “Se Deus criou os animais com possibilidade de sentirem dor, amor, respeito, carinho, companheirismo então deve ser a última opção comê-los” (2)

  8. Eu sou cristã e defensora dos animais e não vejo nenhuma contradição nisso. Se Deus criou os animais com capacidade de sentir dor e de sofrer, com certeza não foi para satisfazer o desejo sádico de maltratar alguém, inerente à espécie humana. Na minha opinião, foi muito mais para nos ensinar a amar a todos e a aceitar as diferenças!!

    Além do mais, o significado da palavra “dominar” está muito deformado hoje em dia. (Por isso, sem querer polemizar, há tantas pessoas contra a ‘doutrina’ de Cesar Millan). Como a Re falou, “eu domino o meu cão, eu cuido dele, sou responsável pela vida e pelo bem estar dele.” E não a imagem do patrão mal de” todos tem de estar abaixo de mim, eu sou a autoridade máxima e tem que fazer o que eu quero, quando eu quiser, eu posso fazer o que eu quiser com os outros, porque eu os domino”.

  9. Exercer domínio expresso em Gên. 1.26 nada mais é do que zelar, cuidar, proteger….O primeiro casal vivia em completa e perfeita harmonia com toda a criação antes da queda . D´US jamais nos ordenaria exercer o domínio cruel como o homem tem feito desde então . O homem afastou-se de D´US e envergonhou-se . Caiu a ficha mas era tarde! . Os princípios de D´US são regidos pelo amor e pela compaixão …..e ao final, pelo Juízo ! E ele vem !

  10. Nao consigo entender como uma pessoa se alimenta de cadaveres,restos mortais de um ser.Alguns ignorantes dizem que Deus deixou os animais para nos alimentar e servir,que Deus seria esse?Degradante se esconder atras de Deus para uma sujeira dessas.Eu acredito em um Deus amoroso e justo.Um dia teremos a reposta porque tudo eh desse jeito,tudo vai ter um fim e esses fracos e impotentes seres verao a justica.

  11. Mas è muito fácil para alguns seres humanos orar ,carregar bíblias do que agir corretamente.Quanta incoerência. Dizem que falam e adoram um Deus que não vêem mas desreipeitam as criaturas que acreditam que foi quem criou.Não é da Bíblia o mandamento amar seu próximo.

  12. Meu avô era super católico e me criticava por eu não comer carne. Ele dizia que animais são “inferiores”. Isso revolta muito, infelizmente muita gente ainda pensa assim (ou quer pensar assim). Se Deus é amor e foi Ele quem criou tudo e todos, os animais não estão incluídos nessa?

  13. Cada um interpreta a bíblia de uma maneira, por isso há tantas religiões, eu acredito que Deus é amor e compaixão, e no que se diz que o homem domina os animais é no sentido de cuidar, porque nós que somos os racionais e temos mais “poder” nós devíamos cuidar, e ajuda-los a evoluir também.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>